Copa 2018

Argentino apitará jogo de estreia da Copa, com Sandro Meira Ricci como árbitro reserva

Pitana tem 42 anos e será auxiliado por Juan Pablo Belatti e Hernan Maidana

Agência O Globo

Nestor Pitana, árbitro argentino, será o responsável por apitar a partida de abertura da Copa do Mundo de 2018, entre Rússia e Arábia Saudita, na próxima quinta-feira, às 12h (de Brasília), no estádio Lujniki, em Moscou. O brasileiro Sandro Meira Ricci participará da partida como árbitro reserva. Já o árbitro de vídeo será o italiano Massimiliano Irrati. Pitana tem 42 anos e será auxiliado por Juan Pablo Belatti e Hernan Maidana. 


- Estamos aqui para dar o nosso melhor, mostrar a todos que estamos trabalhando com uniformidade, consistência - disse o diretor de arbitragem da Fifa, Massimo Busacca.

O presidente do Comitê de Árbitros da Fifa, o italiano Pierluigi Collina, ressaltou que a preparação para a Copa teve o pontapé inicial há quatro anos.

- Os seminários são parte da preparação, que começou logo após o fim da Copa de 2014. Massimo e o staff trabalharam muito para preparar os árbitros que estariam selecionados quatro anos depois. Foi um processo longo, preciso, com muito trabalho para os árbitros envolvidos - disse o ex-melhor árbitro do mundo.

Para chegar à Copa, os árbitros da Fifa selecionados fizeram baterias de treinamentos em três meses distintos. Sandro, inclusive, é um dos braços para serem usados como árbitros de vídeo. Na Rússia, a função fica com Wilton Pereira Sampaio.

Ricci na sua segunda Copa

Na Rússia, Ricci participa da segunda Copa do Mundo da carreira. Ele atuou no Brasil e, inclusive, foi o primeiro a validar um gol com o auxílio da tecnologia da linha do gol: foi marcado por Benzema contra Honduras.

Sandro, de 43 anos, participou de grandes eventos recentemente, como Mundial de Clubes de 2017 e os Jogos Olímpicos Rio-2016. A escalação deixa claro o bom conceito que o brasileiro tem na Fifa.

Sandro foi eleito o melhor árbitro do Brasileirão-2010, mesmo tendo marcado um pênalti discutível a favor do Corinthians em um jogo crucial contra o Cruzeiro.

Ricci acumulou mais episódios polêmicos na carreira. Na Copa América de 2015, por exemplo, ele foi o árbitro que expulsou o atacante uruguaio Cavani, que recebeu uma dedada do chileno Jara.

No Brasileirão-2016, Ricci foi o árbitro que levou 13 minutos para tomar uma decisão sobre a anulação do gol do Fluminense no clássico contra o Flamengo. Ele invalidou, validou e, por fim, tomou a decisão - correta - de não dar o gol. A questão é que o episódio abriu precedente para suspeita de interferência externa. Sandro foi suspenso pelo STJD por 60 dias - e ainda levou multa de R$ 1 mil -, mas isso não afetou o caminho até a Rússia.