Futebol

As últimas informações do caso do jogador Daniel, morto no final do mês de outubro

Mensagens mostram "linha do tempo" do atleta momentos antes do crime

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Mensagens trocadas entre o jogador Daniel Corrêa e alguns amigos mostram uma "linha do tempo" do rapaz momentos antes do crime. No final do último mês, o atleta foi morto com sinais de tortura em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

Em entrevista à RPC, Edison Brittes Júnior confessou o crime. Ele alegou ter matado Daniel porque o jogador tentou estuprar a esposa dele, Cristiana Brittes. Edison Júnior, 38 anos, Cristiana, 35 anos, e a filha do casal, Allana Brittes, 18 anos, estão presos em São José dos Pinhais. As prisões têm validade de 30 dias.

(Foto: Divulgação / EC São Bento)

  • Mensagens e linha do tempo

Daniel chegou em Curitiba na noite de 26 de outubro, uma sexta-feira. Ele passou na casa de um amigo e foi para a primeira festa em seguida. As informações são do Globo Esporte Paraná.

Por volta de meia-noite, os dois foram para o aniversário de 18 anos de Allana, em outra boate de Curitiba. Os convites foram entregues pelo pai dela.

No dia seguinte, às 5h40 da manhã, o amigo de Daniel foi embora e o jogador disse que ia para a casa de Allana, para continuar a festa.

A primeira pessoa a ir dormir foi Cristiana. Na festa, ficaram Daniel, Edison Júnior e outras oito pessoas.

Às 8h07, Daniel passou a enviar mensagens para outro amigo e contou que estava na casa de uma menina, onde várias pessoas estavam dormindo. Em uma mensagem de áudio, Daniel disse ao amigo que não estava muito bêbado.

Foto: Reprodução/RPC

O jogador também informou ao amigo que havia uma "coroa" na casa, que ia ter relações sexuais com ela e que era mãe da aniversariante.

O amigo pediu para Daniel ter cuidado para não ser expulso da casa. O atleta mandou uma foto ao lado de Cristiana, que aparentava estar dormindo.

Foto: Reprodução/RPC

Às 8h34, Daniel mandou outra foto ao lado de Cristiana e disse ao amigo que teve relação sexual com ela.

Em seguida, o rapaz mandou uma última mensagem: "O que aparecer amanhã é nóis". O amigo perguntou o que Daniel quis dizer, mas não foi respondido.

Foto: Reprodução/RPC

O corpo de Daniel foi encontrado duas horas depois, às 10h30, pela polícia, em um matagal. O corpo apresentava multilações e sinais de tortura.

Segundo a Polícia Civil, o órgão genital do jogador foi cortado e o Instituto Médico-Legal (IML) apontou ferimento por arma branca como causa preliminar da morte.

O amigo que cedeu a casa para Daniel disse que começou a ficar preocupado na noite de sábado porque o atleta estava desaparecido desde a festa. O rapaz chegou a envar mensagens para Allana, que afirmou que Daniel tinha ido embora sozinho.

O amigo reconheceu o corpo de Daniel no IML, no domingo, 28 de outubro.