Futebol

Bahia prepara clima de 'guerra' na Fonte Nova para o Vitória

Ba-Vi deste domingo (30) terá Leão tentando segurar o "abafa" prometido pelo Esquadrão, "pilhado" com derrotas nos dois últimos clássicos

Vitor Villar, do Correio 24h (vitor.villar@redebahia.com.br)
- Atualizada em

Ninguém terá vida fácil neste domingo (30), na Fonte Nova, quando Bahia e Vitória decidirão vaga na final da Copa do Nordeste, a partir das 16h. O Esquadrão entrará em campo “pilhado”, querendo se vingar da derrota por 2x1 no Barradão, clássico no qual julgou-se amplamente prejudicado pela arbitragem.

Já o Leão terá que segurar o “abafa” prometido pelo rival, que vem incentivando um verdadeiro clima de guerra para a decisão, aproveitando-se de um estádio que será inteiramente tricolor. Vitória joga pelo empate para ir à final. Ao Bahia, 1x0 é suficiente.

Mais de 27 mil ingressos já haviam sido garantidos até este sábado (Foto: Nelson Barros Neto / EC Bahia)

A diplomacia presidencial ficou de lado nos dois dias de intervalo entre os clássicos. Em entrevista para o programa de rádio oficial do clube, na sexta (28), Marcelo Sant’Ana prometeu passar por cima do rival: “O Bahia vai passar pelo Vitória na Fonte Nova porque tem mais time e mais torcida. Tenho 100% de confiança. Eu cresci na Fonte Nova vendo gol de Raudinei, Marcelo Ramos, Uéslei... Domingo verei um novo capítulo de felicidade na história do Bahia. Pronto”.

O mandatário ainda ironizou a arbitragem: “No domingo, a gente precisa ter 40 mil contra 15, porque tem quatro a mais (se referindo ao quarteto de arbitragem). Tomara que seja 11 contra 11, do primeiro minuto aos descontos”.

Por causa da determinação de torcida única, o Bahia colocou à venda a cota de ingressos que seria destinada aos rubro-negros (cerca de 4 mil bilhetes) para a sua torcida ao preço de R$ 10 a meia. Até o fim da tarde deste sábado (29), cerca de 27 mil ingressos já haviam sido garantidos pelos tricolores.

O próprio Bahia tem colocado em seus perfis nas redes sociais mensagens de incentivo para a torcida usando um tom um tanto bélico: “contra tudo e contra todos”, trouxe um vídeo com cenas dos erros de arbitragem contra o clube.

O sentimento chegou aos jogadores. “Se tiver que dar carrinho de cabeça, eu vou dar. Se tiver que sangrar, sem problema. Se levar cotovelada, porrada, não estou nem aí. Para tirar a bola de mim vai ser muito difícil. É o jogo da minha vida. Estou até tremendo, não consegui dormir, ansioso. Temos que dar um basta nisso”, disse o lateral-direito Eduardo, que volta ao time.

Já o Vitória preferiu a discrição desde o triunfo no jogo de ida. Nos bastidores, porém, o presidente Ivã de Almeida também cutucou o rival, ao enviar ofício à FBF criticando as declarações de Pedro Henriques, vice-presidente tricolor, após o clássico.

Único atleta a dar entrevista no Barradão, Euller pediu que não ocorram mais excessos. “Confusão e birra todo Ba-Vi vai ter, normal, porque é um clássico. Mas acho que nesse excedeu um pouco”, refletiu o lateral, que mais uma vez será titular como meia.

ESCALAÇÕES

Sem Hernane, com uma fratura na tíbia e estimativa de 3 meses para o retorno, o Bahia deve ir a campo com Jean, Eduardo, Tiago, Jackson e Pablo Armero; Edson, Renê Júnior e Régis; Allione, Zé Rafael e Edigar Junio.

Já o Vitória, que não terá André Lima, vetado com uma inflamação na sola do pé, terá Fernando Miguel, Patric, Kanu, Fred e Geferson; Willian Farias, Bruno Ramires, Cleiton Xavier e Euller; David e Kieza.