Futebol

Brasil x Argentina: seleção de Tite busca evoluir em meio à reinvenção do time

Equipes se enfrentam nesta sexta-feira (15), às 14h

Igor Siqueira, da Agência O Globo
- Atualizada em

Como definir a seleção brasileira atual? Até o próprio Tite tem certa dificuldade, pelo processo que o técnico trata como uma reinvenção após um ciclo de Copa do Mundo e a Copa América. A cabeça está na montagem de um grupo para a disputa das Eliminatórias, mas Tite sabe que precisa de resultados para respaldar os testes. E vencer a Argentina no amistoso desta sexta-feira, às 14h (de Brasília), é parte importante do processo.

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

No cenário presente, os números da campanha de Tite servem como lembrança de que a seleção funcionou num passado recente. Ao mesmo tempo, pressionam para que o nível de desempenho seja retomado.

— A equipe gosta de jogar, propõe, é alegre sem ser irresponsável. Agora, a equipe está num período de se reinventar, ela e seu técnico. Eu me reinvento em cima de novos jogadores. Estamos nos reinventando para uma competição que vem em seguida. Mas dentro de uma ideia — comentou Tite durante entrevista em Riad, na Arábia Saudita.

A mudança no Brasil passa pela adaptação a um novo esquema tático. O 4-4-2 estará à prova, mesmo sem Neymar, que exerceria função mais centralizada, como um segundo atacante.

Tite admite que precisa ser um pouco mais ousado nos testes para justificar tantos jogadores convocados. Há expectativa pelo uso de Rodrygo na data Fifa, mas não como titular contra a Argentina. O técnico não revelou a escalação.

— Estamos procurando, fazendo combinações de atletas em setores, estabelecendo conexões, do lateral com o externo, o trio do meio de campo... ainda não encontramos a melhor forma. Estamos em busca — explicou o treinador.



Será a quinta vez que Tite enfrentará a Argentina. Ele ganhou três e perdeu um. No encontro mais recente, também sem Neymar, venceu o time de Messi nas semifinais da Copa América. Como em ocasiões anteriores, o técnico diz não ter como parar o craque:

— Continuo sem dormir direito para neutralizar um jogador com capacidade extraordinária. A gente nunca neutraliza. Diminuímos as virtudes — reconheceu.

Haverá disputa de pênaltis em caso de empate, valendo o simbólico troféu Superclássico.