Futebol

Brasileiro pode deixar clube após atos racistas em sua estreia

Torcedores protestaram contra a chegada de um jogador negro ao clube

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

O atacante Malcom estreou no Zenit, da Rússia, no último sábado (3), em jogo contra o Krasnodar, pelo campeonato nacional do país. Comprado do Barcelona, o brasileiro foi vítima de racismo no jogo válido pelo campeonato russo.

Foto: Reprodução/Twitter

Com o ato, a agência de notícias russa RIA Novosti afirmou que o clube cogita vender Malcom, que chegou ao novo clube na última semana.

Os ultras (como são chamados os torcedores radicais da Europa) do Zenit estenderam uma faixa que dizia "Obrigado aos diretores por respeitarem nossas tradições", uma ironia ao fato do estreante ser negro. O clube não tem tradição de contratar atletas negros.
Foto: Reprodução

As manifestações da torcida do Zenit não se resumiram ao jogo. Uma carta-manifesto assinada por diversas torcidas do time questionam critérios de contratação da diretoria, como a contratação de jogadores negros ou de "minorias sexuais".

“Agora, os jogadores negros de futebol estão sendo impostos quase pela força ao Zenit. E isso causa apenas uma reação adversa. Deixe-nos ser o que somos”, afirma o manifesto em um trecho.

O clube se manifestou após a partida, e minimizou o fato. Além disso, afirmou que a faixa foi mal interpretada pela mídia e que não pretende vender Malcom em janeiro.


Veja a carta do Zenit na íntegra:
“O Zenit Football Club sabe que uma faixa foi revelada por um pequeno número de pessoas e que o significado desta declaração foi deturpado. E com base nessas deturpações, conclusões incorretas foram tiradas que não têm base na realidade. O Zenit tem uma longa tradição de convidar os melhores jogadores de todo o mundo para o clube, independentemente do seu passado, etnia ou nacionalidade. Há muito que o clube apoia e instiga iniciativas anti-racistas, inclusivas e de igualdade e continuará a fazê-lo agora e no futuro. Ao mesmo tempo, gostaríamos de expressar nosso profundo pesar de que os meios de comunicação no exterior e outros, incluindo clubes de futebol, tenham denunciado incorretamente o assunto, e esperamos que o avanço dessas organizações possa verificar completamente os fatos antes de fazer quaisquer declarações depreciativas ou acusações. O Zenit Football Club terá o prazer de convidar aqueles que comentarem a situação para assistirem a uma das nossas partidas em casa e experimentarem a hospitalidade que tão famosamente demonstramos durante a Copa do Mundo de 2018 e em outras competições e eventos internacionais.”