Copa 2018

De Safadão, Kevinho a Ronaldinho Gaúcho: conheça oito músicas promessa a hits da Copa

Veja a playlist e espante o fantasma do 7 a 1

Agência O Globo

No clássico “Pra frente Brasil”, do sambista Miguel Gustavo, que embalou a Copa de 70, a seleção é exaltada. Nos hits de 2002, como “A festa”, de Ivete Sangalo, e “Deixa a vida me levar”, de Zeca Pagodinho, até podem não ter mencionado o futebol, mas deram o recado que a seleção precisava para trazer o penta. Já na Copa no Brasil em 2014, MC Guimê focou no ídolo da vez no verso “tocou Neymar é gol” da música “País do futebol”. A verdade é que não tem uma fórmula para fazer um hit para o Mundial. Mas uma coisa é certa: todas as promessas musicais de 2018 estão apostando em levantar a autoestima brasileira. Veja a playlist e espante o fantasma do 7 a 1.


"Agora é hexa", Anavitória e Atitude 67

De um lado, a dupla Anavitória representa os que não sabem nada de futebol. De outro, os pagodeiros da Atitude 67 fazem as vezes dos fanáticos pelo esporte. Com a música, “Agora é hexa”, eles mostram que o importante é torcer. A letra é autobiográfica: “Não entendemos nada de regras, mas, na última Copa, decoramos a casa e, quando Neymar se machucou, a gente fez até oração”, diz Ana Clara Costa. O craque até serviu de inspiração para um verso antes do grito de “gol”.

"Copa do bumbum", MC WM e Léo Santana

“Deixa os gringos zoar com aquele papinho de 7 a 1”, anunciam MC WM e Léo Santana, antes de apostarem no que o Brasil, para eles, vence de lavada: a Copa do Bumbum. Essa mistura do funk e o axé já rende mais de 11 milhões de visualizações no YouTube com um mês no ar e aposta em dancinha, refrão chiclete, e decoração verde e amarela espalhadas pela rua: “A melhor forma de superar os traumas é usar a irreverência do pessoal da periferia”, diz WM.

"Eu vim pra fazer diferença", Alexandre Pires e Thiaguinho

Com clipe gravado no Jardim Irene (SP), bairro onde nasceu o capitão do penta, Cafu, a união de Alexandre Pires e Thiaguinho vem com a mensagem de “resgatar o orgulho de ser brasileiro”. E, se depender de Neymar, Marcelo, Taison e Paulinho, esse vai ser o mantra antes das partidas. O quarteto já compartilhou a música nas redes sociais. “É bom para os jogadores, para inspirá-los e pensarem que tem muita gente no Brasil torcendo por eles”, diz Thiaguinho.

"Papum", Kevinho

Kevinho quer ver os jogadores da seleção marcando gols sem sofrimento. Bem “PaPum”. E a sarrada no ar aparece como quem ensina o que pode ser a coreografia das comemorações. O cantor até ligou para Gabriel Jesus para avisar: “Mete gol daí, que eu meto hit daqui”. Tem feito a parte dele: o clipe, com um mês no ar no Youtube, já tem mais de 53 milhões de visualizações. Agora, resta saber se o atacante vai cumprir o combinado.

"Disputa do bumbum", MC Loma e as Gêmeas Lacração

Com seu batom neon característico, MC Loma investiu nas cores da bandeira para montar o seu look e o das Gêmeas Lacração na torcida pelo Brasil. E elas não querem ditar tendência só na moda. Em “Disputa do bumbum”, adiantam: “Em cada goleada a gente vai comemorar, mexendo o bumbum pra lá, mexendo o bumbum pra cá”. “Pode ser goleada de qualquer número que vale mandar o passinho. Vai ser muito legal ver o Brasil comemorando assim”, diz MC Loma.

"Eu e a torcida do Brasil", Aviões e Wesley Safadão

A história da música dos forrozeiros Xand Avião e Wesley Safadão é para os corações apaixonados. Mas os gritos e as frases clássicas do mundo do futebol, como “Eu e a torcida do Brasil cruzando os dedos”, podem ajudar a embalar a torcida de muita gente na Copa. E a brincadeira foi proposital: “Faz parte do brasileiro torcer por uma grande e boa história de amor, por um futuro melhor e, claro, por seu time de coração”, explica Wesley Safadão.

"Oooh la la la la", K2rhym e Ronaldinho Gaúcho

O rapper da Tunísia K2rhym convidou Ronaldinho Gaúcho para cantar, e até dançar, o refrão de seu hit, que nada mais é do que “Oooh la la la la”. Mas essa não é a única participação do ex-jogador em músicas da Copa. Ele bateu uma bolinha com Will Smith, Nicky Jam e Era Istrefi na música oficial da Fifa, “Live it up”, e lançou com o grupo de pagode RDN a música “Juntos somos mais fortes”. “Foi um prazer unir coisas que amo tanto: futebol e música”, disse Ronaldinho.

"Vai âe", Ruy Brissac

Por ter vivido Dinho num musical, Ruy Brissac foi convidado por parentes do ex-“Mamonas Assassinas” para completar uma canção que o falecido cantor começou a fazer para a Copa de 1998 — os versos só foram encontrados no fim do ano passado. Se na época o Brasil perdeu para a França na final, Ruy espera que a canção lançada com alguns anos de atraso espante a falta de sorte: “Quero que a música dê a força que o Brasil precisa para vencer mais uma”.