Futebol

Depois de suposto atrito, PSG veta CBF de falar sobre operação de Neymar

Não se sabe ainda como a comunicação do resultado de operação será feita. O procedimento começou por volta das 9h

Agência O Globo

Cada vez mais o suposto racha entre Paris Saint-Germain e CBF no caso Neymar ganha corpo. Na manhã deste sábado o atacante realizará cirurgia para corrigir fratura no quinto metatarso do pé direito e o clube francês vetou a comunicação da confederação brasileira a respeito do procedimento.

De acordo com a assessoria de imprensa do hospital onde Neymar está internado, o PSG comunicou os envolvidos em Belo Horizonte que tomará conta de todas as informações divulgadas sobre a cirurgia. A CBF já havia acertado com o hospital a disponibilidade de uma sala de imprensa com capacidade para 100 pessoas onde Rodrigo Lasmar daria coletiva. Ele é médico da seleção e responsável pela operação de Neymar.

A novidade surge depois que notícias do jornal francês L'Equipe revelaram um suposto descontentamento do Paris Saint-Germain com a mudança de diagnóstico feita por Rodrigo Lasmar no Brasil. Enquanto o médicos franceses diagnosticaram Neymar com uma fratura parcial, Lasmar afirmou que a fratura foi completa, o que aumentaria inclusive o prazo de recuperação previsto, de dois para três meses.

Antes disso, a própria necessidade ou não de cirurgia foi discutida entre jogador, CBF e PSG. Neymar fez questão de ser operado por Lasmar e os franceses então enviaram o médico Gérard Saillant e o coordenador esportivo Maxwell Scherrer para acompanharem pessoalmente o jogador.