Futebol

Dois suspeitos de participarem da morte de Daniel Corrêa se entregam à polícia

Ygor King, de 19 anos, e David Willian Villeroy da Silva, de 18 anos, irão cumprir o mandato de prisão temporária, de 30 dias

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Dois suspeitos de participarem da morte do jogador Daniel Corrêa se entregaram à polícia na manhã desta quinta-feira (08). Ygor King, de 19 anos, e David Willian Villeroy da Silva, de 18 anos, irão cumprir o mandato de prisão temporária, de 30 dias, expedido pela 11ª Vara Criminal de São José dos Pinhais nesta quarta-feira (07). As informações são do G1 Paraná.

O terceiro suspeito, Eduardo Henrique da Silva, de 19 anos, foi preso nesta quarta-feira (07), em Foz do Iguaçu (PR). Segundo a polícia, os três homens teriam auxiliado Edison Brittes Júnior na agressão contra o jogador que ocorreu na casa do empresário no dia 27 de outubro, dia da morte do atleta.


Depoimentos contraditórios
Em depoimento à polícia nesta quarta-feira, o empresário Edison Brittes confessou ter espancado e matado o jogador Daniel Corrêa, porém a versão que apresentou as autoridades é diferente daquela que falou em entrevista à RPC.

À TV, Edison disse que a porta do quarto onde  Cristiana Brittes estava foi arrombada por ele. Porém, à polícia ele disse que pulou a janela ao ver Daniel Corrêa com a esposa.

O suspeito optou por ficar em silêncio durante o interrogatório quando foi perguntado como o jogador foi morto, mas assumiu toda a autoria do homicídio. Ele disse ainda que a sua intenção foi de humilhar o atleta e que ficou transtornado ao ver Daniel suspostamente abusando da esposa dele. De acordo com Edson, Daniel teria tentado estuprar Cristiana.