Futebol

Dunga avisa que Seleção vai sofrer nas Eliminatórias

Dunga comentou a lista que terá a missão de começar a trajetória nas Eliminatórias da América do Sul, contra Chile e Venezuela, rumo à Copa de 2018

Redação Goal
- Atualizada em


Dunga falou sobre Neymar, convocados e os adversários do Brasil nas Eliminatórias. Foto: Rafael Ribeiro / CBF

Confira o que melhor disse o treinador da Seleção Brasileira:CONVOCADOSNas Eliminatórias de 2010 convocamos 55 jogadores. A competição é longa, todos precisam se sentir preparados. Tivemos a experiência da Copa América e foi muito útil. Poucos jogadores já jogaram as Eliminatórias, mas estamos preparados.RENATO AUGUSTO E LUCAS LIMAEstamos observando os jogos e convocados dois no máximo por equipe. Renato Augusto e Lucas Lima estão se destacando muito. Lucas foi bem nos amistosos com a Seleção. Muitas vezes o jogador quando perde a bola, ele para. Lucas não fez isso no último jogo do Santos. Mostra que está se adaptando ao que a Seleção pede. Já o Renato está muito bem no Corinthians, Tem uma boa dinâmica e qualidade.CHILEChile tem futebol muito dinâmico, agressivo. Campeão da Copa América. Sempre tivemos dificuldades contra eles. Tivemos um jogo recente na Inglaterra e foi complicado. Temos que nos impor dentro de campo.RAFINHAObservamos todos. E eles precisam estar preparados. Agora surgiu a chance de chamar o Rafinha. É experiente, joga na Europa, a Champions... Está dada a opotunidade e depende do jogador. Ele tem personalidade, bom cruzamento. Ele consegue jogar como lateral, como o futebol brasileiro gosta.LUCAS MOURAA cobrança tática na Europa é mais forte. Não cobramos muito isso no Brasil. Ele está mais maduro, entendeu que o foco dele tem que ser o campo, no treino. O que acontece fora disso é um plus a mais. Não pode se preocupar com redes sociais, e sim com o campo.HULKO Hulk já conhecíamos. Fui eu quem o convocou pela primeira vez. Tivemos umas coisas que não foram bem compreendidas ou esclarecidas. O colocamos numa posição em que ele joga em sua equipe, mais perto da área, para aproveitar de sua qualidade física e ele correspondeu no que já o conhecíamos.ELIMINATÓRIASTudo é difícil, temos uma chance de reverter essa situação. O que aconteceu na Copa do Mundo foi como 1950, sempre será lembrado. A cicatriz está ai. Não podemos achar que as Eliminatórias serão fáceis. As dificuldades fazem parte do trabalho. Os rivais cresceram muito. Chile, Colômbia, Uruguai, Paraguai... É uma grande chance para podermos demonstrar que estamos trabalhando sério. Quando falamos que os rivais cresceram, é um sinal de respeito. Mas confiamos nos nossos jogadores. Vamos sofrer, mas vamos nos classificar para a Copa do Mundo.NEYMARTemos que nos prender aos fatos. O recurso foi feito e ainda não teve sucesso. Gostaria da colaboração de vocês. Queríamos contar com o Neymar, mas não é possível. Temos que unir forças nos jogadores que temos. Vamos trabalhar pelos objetivos. O fato é que são com esses jogadores que vamos contar. Não é possível ter o Neymar nesse momento. Em 70 era o Pelé, Jairzinho fez sete gols. Colocam como negativo nós termos o Neymar. Uma equipe não vence com apenas um jogador. É preciso ter o coletivo. Quem é forte? A matilha ou o lobo? Um não vive sem o outro. Quando tivermos um grupo forte, as coisas vão acontecer naturalmente. Ninguém ganha sozinho.TODOS CONTRA BRASILNa Copa do Mundo, o estádio é neutro. Nas Eliminatórias é diferente. O país todo está contra o Brasil. Sempre foi assim. Aumenta cada vez mais. Temos que estar preparados para esse aspecto. Alguns jogadores saíram cedo do Brasil, vivem uma cultura diferente. No Brasil vivemos o futebol 24 horas por dia. Todos querem que as coisas se resolvam do dia para a noite. A cobrança é excessiva.CULTO RELIGIOSO NA SELEÇÃONão permiti o culto dentro do hotel da Seleção. Temos uma sala onde os jogadores podem receber os familiares ou pessoas mais pertas (sic) deles. Seleção não é local de exposição religiosa ou política. Quanto ao rapaz colocar as fotos em redes sociais, vou contar as dificuldades que encontramos. Eu estava em São Paulo, tomando café, esse rapaz pediu para tirar uma foto como torcedor.