Futebol

Edigar Junio: o cara da recuperação tricolor no Brasileirão

Atacante recuperou a posição de titular com Carpegiani e marcou quatro gols nos últimos jogos

Daniela Leone, Correio 24 horas (daniela.leone@redebahia.com.br)

Ele é a cara da recuperação tricolor no Brasileirão. Com seis gols, Edigar Junio é o artilheiro do Bahia no campeonato ao lado de Mendoza. Destes, quatro foram marcados nos últimos cinco jogos. Titular absoluto com o técnico Paulo Cézar Carpegiani, o camisa 11 tem sido decisivo na arrancada rumo à permanência na Série A.

De acordo com Edigar, o seu crescimento em campo está atrelado ao do time como um todo e o responsável por isso está à beira das quatro linhas. “Carpegiani tem muita tática. Ele pega o jogador, às vezes até pelo braço, e mostra como tem que fazer, ensinando mesmo. Ele nos transmitiu confiança, fez com que a gente recuperasse isso. E vem surtindo efeito. Temos feito grandes jogos. Quando se mexe na equipe, surge efeito individual”, pontuou o atacante. 

Edigar Junio passou a ter papel decisivo no Bahia após a chegada de Carpegiani (Marcelo Malaquias / EC Bahia)

Edigar passou quase três meses longe dos gramados se recuperando de uma lesão na perna. Voltou a jogar no dia 11 de setembro durante o empate em 1x1 com o Atlético-GO. Na ocasião, o Bahia estava era comandado por Preto Casagrande. Com o atual auxiliar, sentou no banco também contra Cruzeiro, Grêmio e Coritiba até voltar a ser titular na estreia do técnico Carpegiani. Não decepcionou e assinou os dois gols tricolores no empate em 2x2 com o Palmeiras.

Ele passou em branco contra Corinthians e Flamengo, mas garantiu o triunfo por 2x1 no clássico Ba-Vi e o empate em 1x1 com o Fluminense, no Maracanã, domingo passado. Habilidoso, Edigar tem variado de função no ataque. Pelas beiradas ou centralizado, está sempre em campo.

“Agora estou em função do time”, disse, em meio a risos. “Me sinto bem jogando nas duas posições, me adaptei. Espero corresponder da melhor maneira onde o professor me colocar. Procuro estar sempre próximo ao gol e finalizando. Sou atacante e tenho que buscar o gol sempre. Mesmo jogando nas pontas, venho fechando na área para poder finalizar e marcar gols”, afirmou o jogador que atuou 19 vezes neste Brasileirão.

Edigar Junio é uma das armas do Bahia na partida das 17h de domingo, contra a Ponte Preta. Poupado do treino de quarta por apresentar cansaço muscular, ele treinou ontem normalmente no Fazendão e está à disposição para o jogo contra a equipe paulista, assim como o volante Renê Júnior e o zagueiro Lucas Fonseca. Edson, contundido, segue fora, assim como Matheus Sales, suspenso.

O tricolor está em 13º lugar na tabela, soma 39 pontos e vai enfrentar um adversário direto na luta contra o rebaixamento. A Ponte está em 17º, com 35 pontos. “É um jogo de seis pontos. Nós ainda estamos ameaçados. Sabemos que precisamos de pontos para poder nos livrar de vez. Temos que ter seriedade e pés no chão para podermos fazer uma grande partida, dar alegria ao torcedor, e nos distanciar cada vez mais”, pregou Edigar Junio.

Aos 26 anos, o atacante tem contrato com o Bahia até o final de 2018 e quer confirmar de uma vez a permanência na Série A para buscar vaga em um torneio internacional. “Todo mundo aqui está buscando isso, pensando grande, querendo levar o Bahia o mais alto possível. Mas ainda não tem nada sacramentado, a gente precisa se livrar dessa possibilidade de rebaixamento. Aí sim, depois, quem sabe pensar na Sul-Americana”.