Futebol

"Eles estão mentindo", afirma delegado do caso da morte do jogador Daniel Corrêa

Corpo do jogador foi encontrado no dia 27 de outubro com sinais de tortura

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

O delegado que está à frente do caso do homicídio do jogador Daniel Corrêa, Amadeu Travisan, afirmou que a Cristiana Brittes e a filha dela Allana mentiram durante o depoimento prestado à polícia. De acordo com o com Trevisan, a família vai ser indiciada por homicídio qualificado e coação de testemunhas. As informações são do G1 Paraná.

Foto: Divulgação
Segundo o delegado, mãe e filha combinaram um versão do crime com Edison Brittes Júnior, empresário que confessou ter matado o atleta. Eles estão mentindo", afirmou o delegado nesta terça-feira (6).

O delegado disse ainda que o crime está esclarecido. "Já conseguimos reconstruir tudo que aconteceu na casa no dia do assassinato. Vamos ouvir mais algumas testemunhas hoje e teremos o depoimento do Edison amanhã", relatou Travisan.

O portal G1 tentou entrar em contato com o advogado da família Brites, mas até o momento não  obteve resposta.

AS ÚLTIMAS INFORMAÇÕES DO CASO DO JOGADOR DANIEL, MORTO NO FINAL DO MÊS DE OUTUBRO

O corpo do jogador foi encontrado em São José dos Pinhais (PR), área metropolitana de Curitiba, na tarde do último sábado (27), com sinais de tortura.