Copa 2018

Em dia de Pickford, Inglaterra bate Suécia e vai às semifinais

Maior nome do duelo entre ingleses e escandinavos foi o jovem goleiro Pickford, do Everton, que fez três defesas espetaculares

Agência O Globo

O maior volume de jogo, os 57% de posse de bola e o placar de 2 a 0 para a Inglaterra contra a Suécia podem enganar quem não assistiu à partida. Mesmo com a melhor atuação de Henderson na Copa, orquestrando o meio-campo inglês como costuma fazer no Liverpool, e apesar dos gols de Maguire e Dele Alli, ambos em bolas aéreas, o maior nome do duelo entre ingleses e escandinavos foi o jovem goleiro Pickford, do Everton, que fez três defesas espetaculares à queima-roupa e garantiu a vitória de sua seleção, que aguarda o vencedor de Rússia x Croácia para conhecer seu rival na semifinal.

O técnico Gareth Southgate manteve o escalação que passou pela Colômbia nas oitavas de final, em seu 3-5-2 de jogadores jovens e ágeis, apesar da atuação ruim da seleção inglesa e da vitória sofrida nos pênaltis.

Já a Suécia contou com a volta de Larsson ao meio-campo, que cumpriu suspensão automática na última rodada. Outra mudança foi na lateral direita, onde Krafth entrou no lugar de Lustig, ausente por ter recebido o segundo cartão amarelo.

Ao contrário do que fez até então, quando se fechou atrás num 4-4-2 bastante recuado, a equipe escandinava começou o jogo com suas duas linhas de quatro um pouco mais adiantas, surpreendendo a Inglaterra. Mas, aproveitando essa postura, os ingleses chegaram com perigo aos 18 minutos. Após boa arrancada de Sterling num contra-ataque, a bola sobrou na meia-lua para Kane, mas o chute rasteiro do artilheiro da Copa passou pelo lado direito da meta de Olsen e saiu.

Apesar de tentar criar triangulações e construir oportunidades com a bola no chão, a Inglaterra novamente precisou da jogada aérea para marcar. Num córner, o zagueiro Maguire se desvencilhou da marcação, cabeceou forte para o chão e abriu o marcador, aos 30 minutos.

No final do primeiro tempo, Sterling recebeu belo lançamento, dominou com estilo e se atrapalhou na frente do goleiro, perdendo chance clara de ampliar o placar.

A segunta etapa viu uma Suécia ainda mais adiantada correndo atrás do prejuízo. Logo no primeiro minuto, Berg subiu alto, venceu a disputa com Young e deu potente cabeçada no canto esquerdo de Pickford, que voou para fazer uma defesa salvadora.

Calamitosa na disputa pelo alto, a zaga sueca levou o segundo gol em nova bola alçada na área. Em boa jogada individual, Young limpou, ajeitou e cruzou na medida para testada perfeita de Dele Alli, que fez 2 a 0 para a Inglaterra.

Desesperados, os suecos partiram para cima com tudo, mas novamente foram parados por Pickford, que defendeu chute à queima-roupa de Claesson, na marca do pênalti. Aos 25, o jovem goleiro do Everton voltou a brilhar. Dentro da pequena área, Berg dominou, girou bem, chutou, e o guarda-metas inglês, com muito reflexo, esticou o braço e jogou a bola para escanteio.

Muito jovem e ainda em formação, a nova seleção inglesa carimbou seu passaporte para as semifinais da Copa do Mundo, estágio que não alcançava desde 1990, no Mundial da Itália. Agora, Harry Kane e companhia esperam o resultado do duelo entre russos e croatas.