Copa 2018

Em vídeos, brasileiros pedem que mulheres repitam frases de cunho sexual

Ao menos dois homens pedem para que um grupo de outras quatro mulheres repita: "Eu quer dar a b... para vocês".

Agência O Globo

Após o vídeo polêmico em que brasileiros cantam frases sexualizadas ao redor de uma mulher estrangeira na Rússia, outros vídeos de torcedores fazendo com que mulheres estrangeiras repitam palavras com conotação sexual em português, sem aparentemente entenderem o significado do que dizem, começaram a ser compartilhados nas redes sociais. Em um deles, ao menos dois homens pedem para que um grupo de outras quatro mulheres repita: "Eu quer dar a b... para vocês".

Esse tipo de comportamento tem sido alvo de críticas nas redes sociais e classificado como agressivo, machista e até racista por usuários. No vídeo que deu início à discussão, torcedores cercam uma moça loira e cantam: "Essa é bem rosinha!". Depois, mudam para "b... rosa!".

Um terceiro vídeo mostra outra jovem encorajada a cantar um trecho do funk de MC2k, que faz alusão ao órgão sexual feminino de forma agressiva. A mulher visivelmente não entende o que está cantando e chega a dançar para a câmera que registra as imagens: "chupa x...", diz ela a pedido, em referência ao sexo oral. Neste vídeo, dois deles já foram identificados.

Na publicação, um usuário comentou: "A moça está visivelmente desconfortável". No primeiro vídeo, que já teve mais de 500 mil visualizações, a legenda era: "Brasileiros assediando garota russa, aproveitam o desconhecimento dela da língua portuguesa para abusar da cordialidade. Isso tem que ser denunciado".

Em um outro vídeo, dentro de um avião, uma aeromoça passa as instruções de segurança enquanto um grupo vibra e grita "Brasil". Ela ri, constrangida. No fim do vídeo, cantam: "A loirinha é nossa!".

Diversas famosas têm usado seus perfis nas redes sociais para se manifestar contra o vídeo dos brasileiros assediando a russa. Fernanda Lima, Monica Iozzi, Bruna Linzmeyer, Debora Nascimento, Maira Charken e Nathalia Dill escreveram textos no Instagram criticando a atitude machista dos homens, usando as hashtags #Machismonacopa e #Nãopassarão.