Copa 2018

Engenheiro de vídeo com russa pede desculpas e alega reação exagerada

Na imagem, o grupo faz com que a moça repita palavras ofensivas relacionadas ao órgão sexual feminino

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Um dos homens presentes no vídeo em que brasileiros assediam uma mulher russa, o engenheiro Luciano Gil se pronunciou sobre o caso, pediu desculpas e alegou uma reação exagerada das pessoas. Na imagem, o grupo faz com que a moça repita palavras ofensivas relacionadas ao órgão sexual feminino. As informações são do portal Uol.

Foto: Reprodução/Internet
Em entrevista por telefone ao portal Uol, Luciano contou que não conhecia nenhum dos outros homens que estavam presentes no vídeo e que o clima no momento era de 'carnaval'.

“Somos pais de família, trabalhadores e vocês estão acabando com a vida da gente... Quem está brincando carnaval exagera um pouquinho na bebida e às vezes passa do ponto. Peço desculpas às mulheres que possam ter se sentido ofendidas, mas estão transformando um copo d'água", disse o engenheiro do Piauí que já foi preso pela Polícia Federal.

Ao ser perguntado sobre o local onde o vídeo foi gravado, o engenheiro não respondeu e descreveu vagamente sobre o momento. “Não foi feita coação, nada ali foi forçado. Tinha mais de 40 meninas ali e os próprios russos que tinham namoradas colocavam elas na brincadeira de livre e espontânea vontade. Só ganhou essa conotação porque aconteceu aqui na Rússia, mas se fosse na favela ou no carnaval seria considerado normal", relatou ao Uol.

Luciano também falou que tinha um brasileiro no grupo que sabia falar em russo e traduziu as palavras para a mulher. "Ela sabia e achou tudo bem", contou.