Futebol

Esquecido por Dunga, Thiago Silva luta para salvar sua carreira na Seleção

Considerado um dos melhores zagueiros do mundo, o jogador do PSG talvez não receba mais oportunidades com a camisa canarinho

Redação Goal
- Atualizada em

GOALNo ano passado, Thiago Silva foi um dos principais personagens do Brasil na Copa do Mundo disputada diante dos brasileiros. Pouco tempo depois, o zagueiro de 30 anos agora não tem certeza se voltará a vestir a camisa canarinho. Na última quinta-feira, o jogador do Paris Saint-Germain ficou de fora, pela segunda vez seguida, de uma convocação para a equipe nacional.

Quem acabou sendo chamado para uma das posições de zagueiro foi Gil, do Corinthians. O defensor do Alvinegro Paulista não é uma das opções principais para os jogos contra Chile e Venezuela, válidos pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018. Os favoritos para o time titular são Miranda, da Internazionale, e David Luiz, companheiro de Thiago Silva no PSG.Aliás, no clube francês a moral de Thiago Silva segue em alta, como acontecia Brasil afora antes do Mundial. Mas após o jogo contra o Chile, nas quartas de final, a ansiedade driblou o então capitão. O excesso de emoção contrastava com a frieza que o tornou um zagueiro de primeira qualidade: recusou bater um dos pênaltis e se isolou do grupo. Ficou sentado em cima de uma bola, rezando pela vitória. Quando Neymar converteu a última cobrança, Thiago Silva não conteve o alívio - uma cena que deixou Dunga preocupado.Entretanto, por estar suspenso, ele não participou do histórico 7 a 1 da Alemanha. A sua presença na Seleção Brasileira parecia continuar firme e forte quando Dunga foi anunciado como sucessor de Luiz Felipe Scolari. Mas aí veio uma lesão que o tirou dos primeiros amistosos, e o defensor também perdeu a faixa de capitão para Neymar. Jogador de personalidade, Thiago Silva não escondeu o descontentamento... e isso não caiu da melhor maneira para o treinador do Brasil."Eu não falei com ninguém, não teve conversa. E isso é o que me deixa chateado", disse o atleta à época. "Neste momento, não posso dizer que estou feliz, porque não estou. É um momento triste, mas é parte do futebol. Vou tentar fazer meu trabalho para ajudar o grupo da melhor maneira possível".

Enquanto isso, Miranda entrou no time titular e não mais saiu, ajudando a Seleção em quatro jogos sem levar gols. Thiago não voltou a ser chamado até novembro de 2014, em lista que tinha apenas atletas do futebol europeu. No entanto, ficou no banco de reservas contra a Turquia. Chegou a entrar contra a Suíça, mas somente porque Miranda deixara o campo por lesão. Aí David Luiz sentiu problema físico e o ex-capitão entrou em campo contra França e Chile. O lugar estava garantido para a Copa América, mas ninguém esperava vê-lo como titular.Dunga surpreendeu a todos ao barrar David Luiz pela escalação do ex-jogador de Fluminense e Milan. Thiago Silva foi titular e marcou até um gol na vitória por 2 a 1 sobre a Venezuela. A ressurreição parecia estar completa... até o fatídico confronto diante do Paraguai. Nas quartas de final, o zagueiro cometeu o pênalti que sacramentou a eliminação do Brasil. A Seleção ficava de fora da Copa América, e Thiago Silva longe do selecionado."Eu nem sabia que a bola tinha atingido minha mão", afirmou o jogador. "Eu só vi o que aconteceu quando assisti a vídeos depois, no hotel. Por isso minha cara era de tanta surpresa, eu não entendia o que o juiz tinha visto. O juiz nem sabia se era a minha mão ou a de Dani (Alves)".Desde então, Thiago Silva não foi mais convocado. E fez questão de mostrar seu descontentamento através de mensagens misteriosas nas redes sociais. Conhecendo bem Dunga, dá para imaginar que o treinador não gostou nada da atitude do zagueiro. Na última entrevista coletiva, quinta-feira, nem mesmo a imprensa local questionou a ausência do atleta. O comandante da Seleção apenas disse: "jogadores mais experientes serão chamados dependendo da situação".Pode ser tarde demais para Thiago Silva. Quando o mês de outubro chegar ao fim, ele terá participado de apenas sete dos 18 jogos da Seleção sob Dunga. Sem dúvidas, ele tem a habilidade para desempenhar um grande papel no caminho da Seleção na busca por uma vaga na Copa da Rússia, em 2018. Mas, para ser lembrado, ele terá que repensar suas atitudes fora de campo.