Futebol

EUA e Japão fazem novamente a final da Copa do Mundo de Futebol Feminino

Seleções reeditam a final de 2011, quando as japonesas conquistaram seu primeiro título em mundial de mulheres


Redação Goal
A Copa do Mundo de Futebol Feminino será decidida com uma reedição da final da última edição do torneio. Pela segunda vez consecutiva, EUA e Japão farão a decisão do Mundial Feminino, que em 2015 acontece no Canadá. A final está marcada para o próximo domingo, em Vancouver, a partir das 20h (horário de Brasília).  

Os caminhos das duas seleções até a final foram marcados por partidas difíceis e por vezes polêmicas. Após derrotar Colômbia e China, já na fase de mata-mata, os EUA fez um duelo de gigantes contra a Alemanha na semifinal. As americanas dominaram a partida, mas sofreram com a forte marcação alemã. Mesmo assim, garantiram seu lugar da decisão com uma vitória de 2 a 0, gols de Lloyd e O'Hara.  Já as japonesas chegaram ao Canadá como as atuais campeãs mundiais e logo na primeira fase mostraram serviço: primeiro lugar do grupo C veio com três vitórias em três jogos. Depois, de uma vitória apertada contra a Holanda nas oitavas, e contra a Austrália nas quartas, ficaram frente a frente com a Inglaterra na semifinal. O jogo estava empatado até os 47 minutos do segundo tempo, quando a zagueira Laura Bassett marcou contra e deu de bandeja a classificação para o Japão.  Os EUA é um dos países mais vitoriosos do torneio, que é organizada desde 1991. Além do título na primeira edição, as americanas também foram campeãs em 1999. Somente a Alemanha também acumula dois títulos em mundiais de mulheres. Já o Japão levantou sua primeira taça em 2011, cuja final também foi disputada contra os EUA.  Uma das melhores e mais populares jogadoras de todos os tempos, a goleira Hope Solo é o grande trunfo dos EUA para a final. Solo é a goleira menos vazada do torneio, com apenas um gol sofrido, e nenhuma outra fez mais defesas do que ela no Mundial (12). Já o Japão tem na coletividade sua maior força, mas aposta também na liderança implacável da capitã Aya Miyama, além da meia-atacante Homare Sawa, eleita a melhor do mundo em 2011.