Esportes

Ex-técnico da seleção feminina, Vadão morre aos 63 anos em São Paulo vítima de câncer

Vadão foi diagnosticado com câncer em dezembro do ano passado, quando estava fazendo exames de rotina

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

O ex- técnico de futebol Oswaldo Fumeiro Alvares, conhecido pro Vadão, faleceu nesta segunda-feira (25), em São Paulo, aos 63 anos. De acordo com o site Estadão, ele lutava contra complicações relacionadas a um câncer no fígado. 

Vadão foi diagnosticado com câncer em dezembro do ano passado, quando estava fazendo exames de rotina. Desde então, ele realizava o tratamento, mas teve que ser internado no hospital Albert Einstein no último dia 12 de maio, em São Paulo, onde não acabou resistindo ao tratamento de quimioterapia e radioterapia e veio a falecer. 

Oswaldo Alvares, de 63 anos, deixa sua esposa Ana Alvarez e dois filhos, Adriano e Carolina Alvares, que fazia a parte da assessoria de imprensa do pai. O corpo será enterrado em Monte Azul Paulista, sua terra natal.

Vadão nasceu no dia 21 de agosto de 1956. Ele começou a sua carreira como meia-esquerda nas categorias de base do Guarani e rodou por clubes como Noroeste, Catanduvense e Botafogo, de Ribeirão Preto (SP). Ele também era formado em educação física.

O ex-técnico já comandou os times Corinthians, São Paulo, Ponte Preta, Bahia, Goiás, Sport, Athetico-PR, Guarani, XV de Piracicaba. Além da seleção brasileira feminina. 

Seu último trabalho foi na seleção brasileira feminina. Deixou o comando em meados do ano passado após a Copa do Mundo na França. Vadão conquistou duas Copas Américas (2014 e 2018), a medalha de ouro nos jogos Pan-Americanos de 2015, dois Torneios Internacionais e o quarto lugar dos Jogos Olímpicos do Brasil em 2016.