Futebol

Felipe Melo pode receber punição por declarar apoio a Bolsonaro

Episódio aconteceu em entrevista à Rede Globo, após o final da partida contra o Bahia, no último domingo (16)

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

O volante Felipe Melo, do Palmeiras, poderá ser julgado no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por ter manifestado apoio ao candidato à presidência Jair Bolsonaro. O episódio aconteceu em entrevista à Rede Globo após o final da partida contra o Bahia, no último domingo (16).

(Foto: Felipe Oliveira / ECBahia)

"Esse gol vai para o nosso futuro presidente, o Bolsonaro", disse o atleta depois da partida em Salvador, na qual marcou o gol de empate para o clube paulista.

No Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) não existe um artigo que determine a punição ao jogador por manifestação política, como a de Felipe Melo. Mas, por se tratar de um caso novo no futebol brasileiro, a Procuradoria do STJD avalia levar o episódio ao tribunal para julgamento. O órgão tem a preocupação que a atitude do jogador possa abrir precedente para que outros atletas adotem a postura.

"Não lembro de nenhum caso similar. Talvez fosse o caso de avaliar a denúncia e deixar que o tribunal veja se foi uma conduta correta ou não. Confesso que disciplinarmente deve ser cautelosamente avaliado. Imagina se vira moda", disse o procurador-geral do STJD, Felipe Bevilacqua, em entrevista à Folha de S.Paulo.

Sem um artigo específico para o ocorrido, O STJD poderia incluir a situação no 258 do Código. "Assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva não tipificada pelas demais regras deste Código", diz o texto. O gancho pode variar de um a seis jogos.

Através de uma nota oficial, o Palmeiras se pronunciou sobre a atitude de Felipe Melo a última segunda-feira (17).

"A Sociedade Esportiva Palmeiras vem a público esclarecer que o posicionamento político do atleta Felipe Melo reflete, única e exclusivamente, uma manifestação particular, e não da instituição”, diz a nota. “O Palmeiras respeita qualquer posição política de seus atletas, empregados e colaboradores e ratifica a sua neutralidade nas questões políticas, partidárias, de crenças, religiões e quaisquer outras formas de manifestações pessoais".