Esportes

Fifa divulga lista de arbitragem da Copa da Rússia; saiba quem são os brasileiros

Experiência com a tecnologia do VAR (uso do vídeo nas partidas) contou pontos

Agência O Globo

A Fifa divulgou a lista dos 33 árbitros e 63 assistentes que vão trabalhar na Copa do Mundo da Rússia, em junho. O Brasil será representado por Sandro Meira Ricci, como juiz principal, e os auxiliares Marcelo van Gasse e Emerson de Carvalho. Ao todo, 46 países estarão representados na arbitragem.

Sandro Meira Ricci tem larga experiência em competições Fifa. Ele foi o árbitro brasileiro na Copa do Mundo de 2014, em casa, na Copa América de 2015, e nos Jogos Olímpicos do Rio-2016. Ano passado, ele trabalhou como auxiliar na Copa das Confederações, na Rússia, e no Mundial de Clubes, como principal.

Os selecionados vão participar de um seminário de duas semanas, na segunda quinzena de abril, no centro técnico da Federação da Itália, e lá serão divididos em dois grupos, incluindo os candidatos a árbitro de vídeo (VAR), responsáveis por revisar as imagens e comunicar aos juízes principais. A divisão oficial das funções será anunciada após esse período.

A preparação para o Mundial começou em setembro de 2014, com um grupo inicial de 53 trios de arbitragem. Eles participaram de seminários que avaliaram, entre outras questões, as habilidades e a personalidade dos candidatos em várias situações do jogo. A escolha também levou em conta a experiência dos candidatos com a tecnologia do VAR.

Até o Mundial, os selecionados serão monitorados e assistidos pela Fifa. Ainda haverá um último encontro a 10 dias antes do início da Copa do Mundo, em Moscou.

A lista completa:

ÁSIA

Árbitros (6): Fahad Al Mirdasi (Arábia Saudita); Alireza Faghani (Irã); Ravshan Irmatov (Uzbequistão); Mohammed Mohamed (Emirados Árabes); Ryuji Sato (Japão) e Nawaf Shukralla (Bahrein).

Auxiliares (10): Yaser Khalil Abdulla Tulefat (Bahrein); Mohammed Al Abakry (Arábia Saudita);
Taleb Al Marri (Catar); Mohamed Alhammadi (Emirados Árabes); Abdulah Al-Shalwai (Arábia Saudita); Mohammadreza Mansouri (Irã); Abduxamidullo Rasulov (Uzbequistão); Toru Sagara (Japão); Jakhongir Saidov (Uzbequistão) e Reza Sokhandan (Irã).

ÁFRICA
Árbitros (6): Mehdi Abid Charef (Argélia); Malang Diedhiou (Senegal); Bakary Gassama (Gâmbia); Ghead Grisha (Egito); Janny Sikazwe (Zâmbia) e Bamlak Tessema (Etiópia).

Auxiliares (10): Redouane Achik (Marrocos); Waleed Ahmed (Sudão); Jean Claude Birumushahu (Burundi); Djibril Camara (Senegal); Jerson Emiliano dos Santos (Angola); Abdelhak Etchiali (Argélia); Anouar Hmila (Tunísia); Marwa Range (Quênia); El Hadji Malick Samba (Senegal) e Zakhele Thusi Siwela (África do Sul).

OCEANIA

Árbitros (2): Mattew Conger (Nova Zelândia) e Norbert Hauata (Taiti).

Auxiliares (3): Bertrand Brial (Nova Caledônia); Simon Lount (Nova Zelândia) e Tevita Makasini (Tonga).

AMÉRICAS DO NORTE E CENTRAL

Árbitros (6): Joel Aguilar (El Salvador); Mark Geiger (Estados Unidos); Jair Marrufo (Estados Unidos); Ricardo Montero (Costa Rica); John Piiti (Panamá) e César Ramos (México).

Auxiliares (8): Frank Anderson (Estados Unidos); Joe Fletcher (Canadá); Miguel Angel Hernández Paredes (México); Juan Carlos Mora Araya (Costa Rica); Corey Rockwell (Estados Unidos); Marvin Torrentera (México); Gabriel Victoria (Panamá) e Juan Zumba (El Salvador).

AMÉRICA DO SUL
Árbitros (6): Julio Bascuñán (Chile); Enrique Cáceres (Paraguai); Andrés Cunha (Uruguai);
Néstor Pitana (Argentina); Sandro Meira Ricci (Brasil) e Wilmar Roldán (Colômbia).

Auxiliares (12): Carlos Astroza (Chile); Juan Pablo Belatti (Argentina); Eduardo Cardozo (Paraguai); Emerson de Carvalho (Brasil); Cristian de la Cruz (Colômbia); Mauricio Espinosa (Uruguai); Alexander Guzman (Colômbia); Hernán Maidana (Argentina); Christian Schiemann (Chile); Nicolas Tarán (Uruguai); Marcelo Van Gasse (Brasil) e Juan Zorrilla (Paraguai).

EUROPA

Árbitros (10): Felix Brych (Alemanha); Cüneyt Çakır (Turquia); Sergey Karasev (Rússia); Björn Kuipers (Holanda); Antonio Mateu Lahoz (Espanha); Szymon Marciniak (Polônia); Milorad Mazic (Sérvia); Gianluca Rocchi (Itália); Damir Skomina (Eslovênia) e Clémet Turpin (França).

Auxiliares (20):  Anton Averianov (Rússia); Mark Borsch (Alemanha); Pau Devis Cebrian (Espanha); Nicolas Danos (França); Elenito di Liberatore (Itália); Roberto Diaz Perez (Espanha); Dalibor Djurdjevic (Sérvia); Bahattin Duran (Turquia); Cyril Gringore (França);
Tikhon Kalugin (Rússia); Tomasz Listkiewciz (Polônia); Stefan Lupp (Alemanha); Tarike Ongun (Turquia); Jure Praprotnik (Eslovênia); Milovan Ristic (Sérvia); Pawel Sokolnicki (Polônia);
Mauro Tonolini (Itália); Sander van Roekel (Holanda); Robert Vukan (Eslovênia) e Erwin Zeinstra (Holanda).