Futebol

Filipe Luís destaca que seu objetivo na Seleção é marcar

Lateral-esquerdo do Brasil analisou duelo contra Paraguai, neste sábado, pelas quartas;e explicou qual é o seu posicionamento no time de Dunga

GOAL
Redação GoalAlguns jogadores da Seleção chegam para a entrevista coletiva e falam pouco, ou quase nada. Roberto Firmino é um grande exemplo. Por sua vez, Filipe Luís, atleta escolhido para falar antes da quartas de final da Copa América, diante do Paraguai, às 18h30 (de Brasília), neste sábado, se expressa muito bem.Na sala de coletivas do Estádio Municipal de Concepción, sul do Chile, o lateral-esquerdo do Chelsea brindou os jornalistas com boas análises e opiniões embasadas. Ainda desconhecido de parte do público brasileiro - só jogou no país pelo Figueirense, entre 2003 e 2005 -, Filipe Luís admitiu que sua principal função no time de Dunga é defender. "Se não tomarmos gols, nossos homens de frente desequilibram", crava.Confira o que melhor disse Filipe Luís:Eliminação para o Paraguai, na Copa América de 2011Não me lembro muito daquele jogo. Lembro que a partida ficou marcada pelas cobranças de pênaltis. Foram quatro para fora, né?. Sempre é ruim ser eliminado, principalmente com a Seleção. Mas são outros jogadores, outro momento e outro duelo agora.Estudando o jogoO Paraguai melhorou muito nos últimos anos e, principalmente contra o Brasil, eles mudam a forma de jogar. Se fecham muito e tentam sair em contra-ataque. O jogo de amanhã (sábado) não será definido nos primeiros minutos e eles vão sair muito no contra-ataque. Não podemos arriscar na saída de bola e precisaremos ter muita criatividade lá na frente. Temos jogadores para isso, mas não será um jogo fácil, precisamos ser sólidos na nossa marcação. Não sermos pegos de surpresa no contra-ataque e tentar fazer os gols com a qualidade que temos lá na frente.Postura defensivaAcho que cada jogo é uma história diferente. No Atlético de Madrid, nas últimas quatro temporadas, e no Chelsea, nessa temporada, tiveram jogos em que ataquei muito e jogos em que ataquei menos. Mas sempre penso primeiro em marcar para depois atacar. Também temos jogadores para definir lá na frente, como Neymar, Willian, Coutinho, e por aí vai. O fundamental é termos uma defesa sólida e não tomar gols. Chances lá na frente vamos criar. Eu, inclusive, ataquei muito contra o Peru e a Venezuela, mas nos outros jogos, precisávamos de uma defesa mais bem postada e jogar no contra-ataque, então, jogando assim, precisamos marcar forte, não dar espaço e guardar posição. Meu objetivo primeiro é marcar bem e fechar a defesa, e quando der, atacar.Esquema tático do ParaguaiO Paraguai melhorou muito nos últimos anos. Jogam com duas linhas de quatro. O time deles tem jogadores perigosos na frente, como Valdez e Santa Cruz. Atrás, conta com jogadores que defendem bem, não deixam espaços. Estão muito melhores que ha dez anos, por exemplo.Caminho do Chile na Copa AméricaEles terão que ganhar os jogos como a gente. Não acredito que está sendo preparado para que eles ganhem, até porque contra o Uruguai eles tiveram um jogo difícil. Eles melhoraram muito nos últimos anos e estão apresentando um grande futebol e têm muito potencial para chegar na final. E contra o Peru não será fácil e eles também terão dificuldades. Mas não podemos pensar neles, temos que nos concentrar na gente, porque temos um caminho difícil para chegar na final.Qual time vai jogar contra o ParaguaiNão tenho nem ideia de qual time vai jogar. Vamos saber agora ou amanhã. O que gosto é que o Dunga está estudando muito os adversários e está preparando muito bem o jogo para gente. Não estamos sendo surpreendidos, sabemos como os adversários vão jogar e quais são os pontos fortes e os pontos fracos dos adversários. Todo mundo deste grupo está preparado para encarar esse jogo, que é difícil, mas também pode ser muito bonito e marcar a história de todo mundo.Arbitragem na Copa AméricaAcho que muitas vezes erramos na forma como falamos com o árbitro. Contra a Colômbia, por exemplo, o árbitro estava errando muito, mas não acho que estava errando porque queria. Ele cometeu alguns erros, mas não porque queria, e acho que a forma como nos aproximamos dele e como tudo se desenrolou, que fez acontecer aquilo tudo envolvendo o Neymar.Agradar o treinador e a torcidaPoucas vezes eu joguei para a torcida. Quando era mais novo, eu até jogava para a torcida algumas vezes, mas não agravada o técnico e, muitas vezes, mesmo no Figueirense, eu fui reserva. Todo mundo quer agradar todo mundo, mas isso não é possível. O mais importante é ganhar. Se eu ficar posicionado lá atrás, fechar meu espaço, e o time ganhar, estou feliz. Não tento agradar um ou outro, penso simplesmente em ajudar e fazer o time ganhar, quero que a equipe vença.