Futebol

Gabriel Jesus desencanta, mas seleção vence Arábia Saudita sem brilhar

Amistoso marca fim de jejum do atacante; equipe de Tite fica devendo

Agência O Globo

O resultado, em si, não foi grande coisa. O Brasil teve uma vitória magra diante da Arábia Saudita no amistoso em Riad. Não deu para empolgar com o que a seleção apresentou em mais um teste neste novo ciclo de Copa do Mundo. Mas o jogo na capital de um dos países muçulmanos mais radicais foi importante para Jesus. O atacante que passou em branco no Mundial voltou a fazer gol com a amarelinha no amistoso desta sexta-feira. Assim, foi ele um dos responsáveis pelo placar de 2 a 0. Alex Sandro fez o segundo.

Por mais insignificante que tenha sido, o jogo foi marcado pela atuação do árbitro de vídeo. Ele flagrou o toque de mão fora da área do goleiro Al Owais. Com a tecnologia, o saudita foi expulso.

A falta de gols na seleção traz à tona um problema detectado por Tite na Rússia. O número insuficiente de finalizações certas. Como atenuante há o fato de que a seleção está em reconstrução, com a inserção de jogadores novos, não tão acostumados com os padrões Tite.

Mas até quem tem muito tempo de casa está executando funções diferentes. Mesmo com Coutinho voltando à ponta direita, como nas Eliminatórias, e Renato Augusto aparecendo como titular na frente, a movimentação não foi a mesma da época pré-Copa. Neymar é o eixo disso tudo.

O camisa 10 da seleção replica no time de Tite o comportamento adotado no Paris Saint-Germain. Neymar não é mais aquele que fica na ponta esquerda esperando a bola chegar para tentar o drible e posterior finalização. O craque ganhou liberdade para ficar na faixa central e eventualmente buscar os lados do campo.

O ponto que ainda demanda ajuste é sincronizar os movimentos, no caso de ontem, com Coutinho e Gabriel Jesus. Quando deu certo, foi justamente a ocasião do gol da vitória brasileira. O passe de Neymar deixou o camisa 9 de frente para o goleiro. E o roteiro da Rússia não se repetiu.

Gabriel Jesus é o vice-artilheiro da era Tite: chegou ao 11º gol. Por isso ele permaneceu nos planos do treinador, que não quis descartá-lo após uma Copa em jejum.

O Brasil ficou devendo em criatividade. Com um jogo de baixa intensidade, a Arábia Saudita nem passou tanto sufoco assim. Só aos 52 minutos do segundo tempo que o outro gol do Brasil se concretizou, quando Alex Sandro cabeceou após cobrança de escanteio.

Com mais uma vitória assegurada, o Brasil tem como próximo compromisso o amistoso contra a Argentina.