Esportes

Isaquias e Erlon ganham o ouro no C2 500m no Mundial de Portugal

Com esta conquista, Isaquias soma a terceira medalha no evento e a décima da carreira

Agência O Globo

Três provas e três medalhas. E desta vez, mais um ouro. Na manhã deste domingo, Isaquias Queiroz e Erlon de Souza venceram a prova C2 500m, no Mundial de Montemor-o-Velho, em Portugal. Com o tempo de 1m40s043, a dupla, que sequer tinha treinado junta para este evento, não deu chances aos rivais. Além da terceira medalha neste evento, Isaquias soma agora dez medalhas em mundiais e entra no Top 4 dos maiores vencedores mundiais do país. Para Erlon, esta foi a primeira conquista em Portugal, já que ele não compete no individual.

Mais de um segundo e meio depois dos brasileiros, os russos Viktor Melantev e Vladislav Chebotar cruzaram em segundo lugar, com 1m41s590. Arsen Sliwinski e Michal Lubniewski, da Polônia, completaram o pódio com 1m41s787. A dupla do Brasil já havia mostrado a que veio, quando avançou à final em primeiro da sua bateria, sem precisar passar pelas semifinais.

Foto: Reprodução / Globo Esporte

Isaquias e Erlon foram vice-campeões olímpicos no C2 1000m, mas para esta edição do Mundial o técnico Jesus Morlán optou por dar descanso ao primeiro nesta distância -- a prova C2 500m não faz parte do programa dos Jogos Olímpicos. Erlon teve a missão de guiar o barco com o jovem Maico dos Santos, mas a dupla perdeu a vaga na final A por uma posição.

-- Trouxemos mais uma medalha para o Brasil. Independentemente de qual seja a prova, o importante é vir aqui e dar o máximo e sair com a sensação de trabalho bem feito. Agora é voltar para o Brasil. Os caras já viram nosso potencial do C2. Agora ano que vem vão ter que correr atrás para pegar a gente no C2 1000m -- disse Isaquias, ao Globoesporte.com.

Além das três medalhas desta edição, ouro no C2 500m, C1 500m e o bronze no C1 1000m, Isaquias tem ainda: dois ouros no C1 500m (2013, 2014) e outro ouro no C2 1000m (2015). A lista inclui os bronzes no C1 1000m (2013 e 2017), no C1 200m (2015) e C2 200m (2014).

Agora, o baiano de 24 anos faz parte do Top 4 dos brasileiros medalhistas em campeonatos mundiais. Na lista estão dois dos esportes aquáticos. Cielo, se garantir classificação para o Mundial de Piscina Curta, em dezembro, na China, terá a possibilidade de se tornar, de forma isolada, no maior medalhista brasileiro em Campeonatos Mundiais:

1.º Robert Scheidt (iatismo) e Cesar Cielo (natação) -- 17 medalhas

3.º Torben Grael (iatismo) -- 14 medalhas

4.º Ana Marcela Cunha (maratona aquática) e Isaquias Queiroz (canoagem) -- 10 medalhas