Lutador lamenta morte de adversário em ringue: 'torcendo para se que ele se mexesse'

Lutador ex-UFC Tim Hagu, de 34 anos, morreu aos 34 anos em decorrência de uma hemorragia cerebral

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Uma luta que acabou de forma trágica. Adam Braidwood, autor do nocaute que levou o lutador Tim Hague a falecer no domingo (18) deu entrevista e disse que sabe que o juiz não teve culpa do ocorrido. O lutador ex-UFC Tim Hagu, de 34 anos, morreu aos 34 anos em decorrência de uma hemorragia cerebral, durante uma luta realizada no Canadá.  Hague, que perdeu por nocaute em quatro de suas últimas cinco lutas de MMA, sofreu diversos knockdowns nos dois rounds do combate, mas o árbitro abre contagem em cada um deles e permite ao atleta continuar lutando.

Foto: Reprodução/YouTube

Adam Braidwood, vencedor da luta, disse em entrevista que se sente devastado e que não houve culpados. "Não foi culpa de ninguém, muito menos do árbitro. Ele perguntou se Tim queria continuar lutando. Ele estava consciente, respondendo claramente ao que era perguntado. Eu vi o vídeo. Tim estava consciente, e disse que queria voltar a lutar.(...) Ele queria continuar lutando, e nós lutamos.  Fiquei esperando de joelhos, torcendo para que Tim se mexesse após a minha comemoração idiota. As pessoas podem dizer o que quiserem, mas eu eu fiquei ali de joelhos, olhando, querendo que ele se movesse",  disse em entrevista ao Combate.com.

Uma campanha de arrecadação coletiva foi iniciada para ajudar nas despesas do funeral de Tim Hague. Em cerca de 24h, o valor de US$ 30 mil foi quase que totalmente arrecadado. Veja o vídeo da luta: