Mais Esportes

Médico diz que Schumacher não teria resistido se não fosse o capacete

Ex-piloto de Fórmula 1 sofreu um grave acidente de esqui na manhã deste domingo (29)

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.b)
- Atualizada em

A situação do ex-piloto Michael Schumacher não é das melhores. Internado neste domingo (29) após sofrer um acidente de esqui em Méribel, na França, o alemão segue em estado crítico no Centro Hospitalar Universitário de Grenoble.


Uma entrevista coletiva foi concedida por um médico e um porta-voz da unidade para esclarecer o quadro do ex-piloto e nela, o chefe anestesista, o professor Jean-Francois Payen, revelou que Schumacher chegou ao hospital em coma, com um grave traumatismo craniano, hematomas intra-cranianos e um edema difuso.


"Nós tivemos que operar com urgência para liberar a pressão em sua cabeça. Infelizmente, ele tem algumas lesões no cérebro. Eu diria que este acidente aconteceu no lugar certo porque ele foi levado para o hospital imediatamente e operado logo que chegou. Ele está mantido em estado de coma artificial, com hipotermia, para manter sua temperatura em torno de 34 graus. Sua condição é crítica. Reanimamos o paciente, mas seu estado é muito grave. Estamos fazendo o possível para melhorar seu prognóstico", disse.




O médico também afirmou que ainda não é possível falar sobre o futuro do ex-piloto, mas se pode dizer que ele está "lutando por sua vida". "É muito cedo para dizer o que vai acontecer. Achamos que o capacete ajudou. Sem o capacete, ele não estaria aqui agora", avisou.