Copa 2018

Messi perde pênalti e é parado por muralha islandesa

Goleiro islandês Halldorsson foi o herói do empate de 1 a 1 entre Argentina e Islândia

Sérgio Luz, da Agência O Globo

Com uma zaga bem postada e uma tática de ferrolho da defesa, a Islândia conseguiu segurar a pressão da Argentina e empatou em 1 a 1 na sua partida de estreia na Copa do Mundo 2018. Muito participativo, Messi tentou de todas as maneiras fazer a diferença, mas parou nas mãos do surpreendente goleiro Halldorsson, que defendeu o pênalti mal batido pelo craque argentino.

Em falta batida por Messi pela esquerda, Argentina levou perigo aos cinco minutos. Pouco depois, Messi levantou outra bola na área islandesa, mas Tagliafico não chegou a tempo de finalizar bem.

A resposta da Islândia veio em seguida. Num erro de saída de bola de Caballero. Com três jogadores dentro da área do adversário, o time europeu quase abriu o placar em chute de Bjarnason.

O jogo começou num ritmo alucinante, com marcação forte de ambos os lados, principalmente da parte da Islândia. Cada vez que Messi pegava na bola, dois ou três islandeses surgiam para fazer uma blitz ao redor de La Pulga. Com sede de gol, o craque do Barcelona deu um chute violento de fora da área para defesa segura de Halldorsson, aos 16 minutos.

Pouco depois, após um chute malsucedido de Rojo, Aguero utilizou um recurso que faz como poucos: recebeu de costas, girou rapidamente e chutou de canhota para a abrir o placar.

Mas a alegria sulamericana durou pouco. Mesmo com sete defensores dentro da própria área, a zaga argentina não conseguiu conter uma surpreendente pressão islandesa. Depois de chute de Sigurdsson, o centro-avante Finnbogasson aproveita o rebote de Caballero e empatou a partida.

A disputa então ficou truncada, com nove jogadores de linha da Islândia recuados, e apenas Finnbogason mais adiantado, em seu próprio campo de defesa. Mas isso mudou nos cinco minutos finais do primeiro tempo. Aproveitando o caos completo da zaga argentina, o camisa 10 Sigurdsson, a estrela do time, quase marcou em toque colocado. Outra tática islandesa eram as laterais lançadas diretamente para a área adversária, cobradas por Gunnarsson.

No segundo tempo, a dinâmica começou parecida. A Argentina tentava atacar contra um ferrolho islandês e, quando sofria o revide, sua defesa calamitosa passava sufoco. Aos 8 minutos da etapa final, Sampoli tirou Biglia para a entrada de Banega.

Mas penetrar a muralha viking se mostrou uma tarefa difícil. Afinal, com um ataque de Messi e Aguero, com média de altura de 1,71m, a jogada aérea era praticamente impossível. Então, Messi e Di Maria passaram a tentar resolver na base do drible, mas um exército islandês sempre cercava e retomava a posse.

Ainda na primeira metade do segundo tempo, Messi lançou Aguero, que sofreu pênalti. Na cobrança, o 10 argentino bateu fraco, no centro do gol, e Halldorsson fez a defesa, para delírio da torcida islandesa em Moscou.

Aos 30, Sampaoli tira um apagado Di Maria para a entrada de Pavon. Mesmo sem brilho, o jovem atacante do Boca Juniors deu velocidade ao time, que passou a bombardear a muralha erguida pela Islândia em frente a seu gol. Implacável, a defesa dos europeus evitou a penetração argentina, coroando o goleiro Halldorsson como o improvável herói da partida.