Copa 2018

México volta a jogar bem e vence a Coreia do Sul

Resultado deixa os mexicanos com seis pontos e classificação encaminhada

Sérgio Luz, da Agência O Globo

Protagonista da maior zebra da primeira rodada, quando atropelou a tetracampeã mundial Alemanha, o México dominou a Coreia do Sul, não deu chance para o azar e venceu a partida por 2 a 1, com gols de Carlos Vela, de pênalti, e Javier "Chicharito" Hernandéz, em jogo válido pelo grupo F da Copa do Mundo da Rússia. Os coreanos descontaram com um golaço de seu principal jogador, Son, do Tottenham, já nos acréscimos do segundo tempo.

Encurralada pela intensidade mexicana, a Coreia só conseguiu subir ao ataque aos 11 minutos, em jogada habilidosa do ponta Hwang, que cruzou para o lateral-direito Lee, que acertou Gallardo ao tentar o chute.

Armada num 4-3-3 de pressão ofensiva, o México passou a se expor a contra-ataques sul-coreanos. Num desses lances, Son chegou contra dois defensores e chutou três vezes até conseguir um escanteio. O México, então, respondeu na mesma moeda. No contragolpe da bola parada, o time de Juan Carlos Osorio quase marcou.

Então, o zagueiro Jang ajudou os mexicanos e deu um carrinho com o braço esticado para o alto. Convicto, o árbitro sérvio Milorad Mazic apitou o pênalti, convertido por Carlos Vela, que deu passe primoroso para Layún quase ampliar na sequência.

Recuada e violenta, com dez faltas nos primeiros 25 minutos de jogo, a Coreia ficou desnorteada com o gol sofrido, dando 72% de posse de bola para o México, e o primeiro tempo acabou em 1 a 0 para os centro-americanos.

A metade final da partida começou dinâmica, com o México buscando o segundo gol em chutes de longa distância de Chicharito Hernández e Layún. Veloz nas transições, a seleção mexicana seguiu agredindo em chutes de fora, como um de Guardado, que exigiu plástica defesa de mão trocada de Jo.

Mas a Coreia não conseguiu resistir muito à pressão. Novamente em contra-ataque de manual, armado em arrancada de Lozano, Chicharito recebeu dentro da área, limpou o zagueiro com um corte seco e ampliou o placar.

Sem sofrer a pressão que levou no segundo tempo contra a Alemanha, o México se poupou e administrou o 2 a 1 com inteligência e trocas de passes. Relaxado e desatento, o time não conseguiu evitar o belo gol de sol, aos 48 do segundo tempo. Assim como na estreia, os mexicanos terminaram a partida sob os gritos de "olé" de sua animada torcida e deixaram a classificação a um empate de distância.