Esportes

Objetos oficiais usados nos Jogos vão a leilão na internet

Segundo Sylmara Multini, diretora de Licenciamento e Varejo do Rio 2016, estes leilões existem desde os Jogos de Vancouver, em 2010

Agência O Globo
Um leilão virtual organizado pelo Comitê Rio 2016 tornará possível a realização do sonho de qualquer pessoa de ter como suvenir objetos oficiais utilizados durante a Olimpíada. São bolas, bandeiras e tochas olímpicas assinadas por atletas medalhistas. Mas é preciso preparar o bolso, pois a concretização do desejo nem sempre sairá barato.
Os lances iniciais das tochas olímpicas utilizadas nas cerimônias de revezamento, por exemplo, partem dos R$ 10 mil. Mesmo os itens iniciados com lances acessíveis, rapidamente atingem valores salgados. É o caso da bandeira do Brasil, carregada pela atleta Yane Marques, na cerimônia de abertura, no Maracanã, que partiu de R$ 150, mas, ontem, já havia atingido R$ 3.405, sendo que ainda há dez dias para o lance final.

Veja também: Atleta brasileiro é flagrado em exame antidoping antes da Olimpíada, diz COB
— A ideia é oferecer a todos a oportunidade de guardar um pedaço da história — diz Jon Curleigh, responsável pela página do leilão.
Segundo Sylmara Multini, diretora de Licenciamento e Varejo do Rio 2016, estes leilões existem desde os Jogos de Vancouver, em 2010, mas, pela primeira vez, é aberto a participantes do mundo inteiro e não apenas do país sede. Ela estima que o leilão vá arrecadar R$ 5 milhões. Entre os itens que, para ela, devem gerar mais cobiça está a tocha usada para acender a pira na solenidade de abertura pelo maratonista Vanderlei Cordeiro.