Futebol

Pai de Neymar não nega que o orientou a se jogar em campo: 'Responsável por defendê-lo'

Fama de cai cai de Neymar ganhou mais força durante a Copa do Mundo de 2018, na Rússia

Agência O Globo
- Atualizada em

A fama de cai cai de Neymar ganhou mais força durante a Copa do Mundo de 2018, na Rússia. Mas o pai dele, Neymar Santos Silva, admitir que já orientou o filho a se jogar em campo só foi feito em entrevista ao site "Uol" nesta segunda-feira.

O empresário disse que não acha certo o filho disputar divididas com os adversários, a maioria delas bem duras, e que apenas pensa em defendê-lo da marcação cerrada.

"Eu falei assim: 'Ah, Neymar, se joga, se joga'. Eu, particularmente, eu acho que o Neymar não podia entrar em dividida em certos momentos, porque ele não iria ganhar. Quando eu explico isso, falam: 'Então, você pediu pro Neymar ficar pulando? Então, você é o responsável por ele estar pulando?'. Não, eu não sou o responsável por ele estar pulando. Eu sou responsável por defendê-lo", disse o pai do jogador.



Neymar está no fim da recuperação do quinto metatarso do pé direito, lesão que o tirou novamente de combate, desta vez em janeiro deste ano, no duelo do Paris Saint-Germain contra o Strasbourg. Não houve queda ou marcação de falta, e o atacante sofreu a segunda fratura no mesmo lugar.

O pai o comparou com um graveto, ao explicar que fincado ao chão, o camisa 10 se rompe com um simples peteleco.

"A gente pediu tanto pra ele ficar de pé que ele ficou de pé. Por uma, por duas, por três. E o árbitro não dá falta. Ele tá pedindo: 'Pô, se você não der a falta, não vai dar'. A arbitragem não parou, não coibiu, não deu nada. Aí o que você pode falar disso? Foi até provocar a lesão. Provocou o desequilíbrio. Se você ver a imagem, provoca o desequilíbrio e ele tem uma nova entorse", disse o empresário, que ainda completou:

"Aí, poxa, se o Neymar fica em pé, ele é lesionado. Se ele cai, ele é cai-cai. Então, é melhor o Neymar continuar sendo o Neymar".