Mais Esportes

Piloto baiano que vai participar no GP Brasil de F-1 desabafa e critica empresas brasileiras

Razia reclamou da falta de patrocínios por parte das empresas nacionais

Da Redação (esportes@portalibahia.com.br)
Razia não descarta possibilidade de ser titular em 2012

No Brasil para participar no primeiro dia de treinos do GP Brasil de Fórmula 1, o baiano Luiz Razia, terceiro piloto da Team Lotus - que se chamará Caterham em 2012 - resolveu desabafar sobre a falta de patrocinadores nacionais. Em um evento em São Paulo ele criticou as empresas do país por não apostarem parte de seus investimentos nos pilotos brasileiros.


"Patrocínio é muito importante. Para entrar no Mundial, você tem que ter dinheiro. Antigamente, existiam várias marcas apostando na F-1, como bancos, cafés e estatais. Hoje em dia, qual empresa brasileira está investindo na categoria? Não só os pilotos estão se sentindo abandonados, como as pessoas que torcem estão jogando para baixo", desabafou Razia.


Para o baiano, as empresas podem não compreender a importância de ter seu nome vinculado a algum piloto numa categoria como a Fórmula 1. "Quando eu chego numa empresa, digo que não estou pedindo favor, mas que você está desperdiçando uma grande oportunidade, uma exposição para 127 países ao longo de todo o ano, e também criar um sistema de relacionamento. Não quero me fazer de coitado, dizer que estou abandonado, mas não consigo entender"


2012 - A participação inédita no Grande Prêmio do Brasil será o último compromisso oficial do piloto nas pistas em 2011. Para o ano que vem, ele afirma que não estão zeradas as chances de a Bahia ter um representante na maior categoria do automobilismo mundial. "Ainda não descartei essa possibilidade, não. Hoje em dia, os contatos são feitos muito rapidamente. O Heidfeld saiu, Raikkonen está se despedindo, então estamos trabalhando bastante para o ano que vem".