Futebol

Presidente da Portuguesa admite escalação irregular e se justifica

Ilídio Lico dirá ao STJD que clube não foi beneficiado pela escalação do jogador, que atuou por cerca de 10 minutos

Redação iBahia (esportes@portalibahia.com.br)
- Atualizada em
O presidente eleito da Portuguesa, Ilídio Lico, admitiu à Folha de S.Paulo que o clube cometeu um erro ao escalar o meia-atacante Héverton contra o Grêmio, domingo, pelo Brasileirão. No entanto, o cartola entende que não houve benefício para a equipe e que esse será um argumento apresentado no julgamento do caso no STJD, segunda-feira. “Peço que os auditores tenham consciência humana, já que uma decisão pode complicar o ano da Portuguesa. Cometemos um erro sem premeditação, do qual não nos beneficiamos em nada. Jogar a Série B por conta disso seria uma pena severa demais”, afirma. Lico assumiria no dia 2 de janeiro, em substituição a Manuel da Lupa, que já deixou o cargo. Mas passou a dar as cartas devido à polêmica surgida. Héverton foi suspenso por dois jogos após a expulsão contra o Bahia. Cumpriu um. Se a Lusa for punida, perderá quatro pontos e será rebaixada no lugar do Fluminense. Quinta, o auditor do STJD, Washington Rodrigues de Oliveira, foi afastado do caso após comentar, no Facebook, que a Portuguesa deveria ser punida.