Futebol

PSG vence o Liverpool e deixa o time inglês em situação delicada na Liga dos Campeões

Reds precisarão vencer o Napoli por ao menos dois gols de diferença para avançarem

Agência O Globo

A impressão deixada pela rodada desta quarta-feira da Liga dos Campeões é que o pior já passou para o Paris Saint-Germain. O risco de ser eliminado já na fase de grupos era muito real. Só que o time francês fez o dever de casa diante do Liverpool, venceu por 2 a 1, chegou aos oito pontos, e agora pode projetar uma classificação tranquila para as oitavas de final. Neymar fez um dos gols.

Neste Grupo C que desde o sorteio foi considerado o mais complicado da competição, o time inglês é quem está com a faca no pescoço. Até porque o Napoli cumpriu o papel dele de não dar mole para o mais fraco da chave, o Estrela Vermelha: venceu por 3 a 1 e assumiu a liderança, com nove pontos.

Ainda falta uma rodada para o fim da fase de grupos. Atual vice-campeão europeu, o Liverpool, que tem seis pontos, precisará dar uma resposta significativa no desafio derradeiro. A classificação só virá com uma vitória sobre os italianos em Anfield. E ainda por cima com dois gols de diferença, já que o confronto direto é o primeiro critério de desempate e o duelo em Nápoles foi 1 a 0 para a equipe de Carlo Ancelloti.

Ao mesmo tempo, quando o PSG quando viu que o "calo" apertou, jogou como se a temporada inteira estivesse sob ameaça - e de fato estava. Perder para o Liverpool significaria eliminação na competição que é o objetivo máximo do clube. Afinal, parece ter cada vez menos graça ganhar o Campeonato Francês, no qual o time acumula atualmente 14 vitórias em 14 jogos.

A classificação ainda não está garantida para o PSG, mas vencer o agora eliminado Estrela Vermelha - coisa que o Liverpool não fez - se desenha uma tarefa muito mais simples.

DINAMISMO DE ATAQUE

No Parque dos Príncipes, a voltagem dos jogadores do PSG estava nitidamente muito mais alta do que a energia do Liverpool. A cada desarme, Thiago Silva fazia questão de chamar a torcida, dar berros e mostrar que todas as jogadas importavam.

Mas gritar não ganha jogo e o cenário só mudaria com bola na rede. O Napoli já vencia por 1 a 0 na Itália quando o espanhol Bernat, aos 13 minutos do primeiro tempo, abriu o placar para o PSG.

 Mesmo em desvantagem, o Liverpool não conseguiu colocar o time da casa sob pressão na etapa inicial. A mobilidade de Neymar, Di Maria, Cavani e Mbappé dificultou muito as coisas para a equipe Jürgen Klopp. A jogada do segundo gol foi o exemplo disso: depois do avanço pela pela esquerda, Neymar aproveitou o rebote de Cavani e fez 2 a 0.

O pênalti convertido por Milner, diminuindo o placar para o Liverpool pouco antes do intervalo, gerou uma expectativa para uma mudança de postura no segundo tempo. Ela até veio, com a versão mais arrojada do lado inglês do confronto. Mas o PSG foi consistente e, por mais que tenha desperdiçado muitos contra-ataques, não sucumbiu.

Com o apito final, veio o alívio.