Copa 2018

Recordes, decepções, árbitro de vídeo e mais: veja como foi a primeira fase da Copa 2018

Mata-mata da Copa da Rússia começa nesta neste sábado (30), às 11h

Gabriel Lopes* (gabriel.freitas@redebahia.com.br)
- Atualizada em

Após 48 jogos, a primeira fase da Copa do Mundo chegou ao fim na última quinta-feira (28). O torneio, que começou com 32 seleções, segue com 16 países classificados para as oitavas de final. O Mundial agora ganha o formato de mata-mata e todas as partidas são eliminatórias. Mas se você anda meio perdido e não conseguiu acompanhar direito o início da competição, segue um resumo.

Chaveamento para as oitavas de final. (Foto: Reprodução/TV Globo)

Melhor campanha
A melhor campanha da Copa, até aqui, é da seleção belga: venceu os três jogos (3 a 0 no Panamá, 5x2 sobre a Tunísia e 1x0 na Inglaterra) e tem o melhor ataque com nove gols marcados. Apenas outros dois times conseguiram 100% de aproveitamento na fase de grupos: Uruguai e Croácia.

A famosa geração belga espera ir longe desta vez. Em 2014, no Mundial do Brasil, a Bélgica chegou até as quartas de final e teve o sonho interrompido, quando foi eliminada pela Argentina (finalista em 2014). Agora, caso passe pelo Japão nas oitavas, os belgas poderão ter o Brasil (que encara o México nas oitavas) pelo caminho, nas quartas de final. Se não tivermos surpresas, Brasil e Bélgica se enfrentam no dia 6 de julho, às 15h.

Romelu Lukaku tem quatro gols no Mundial. (Foto: Reprodução/FIFATV)

Quem ficou pelo caminho
As 16 seleções que não conseguiram a classificação para o mata-mata foram: Arábia Saudita, Egito, Irã, Marrocos, Peru, Austrália, Nigéria, Islândia, Sérvia, Costa Rica, Coreia do Sul, Alemanha, Tunísia, Panamá, Senegal e Polônia.

Assim, a Europa é o continente com mais representantes nas oitavas: começou com 14 países no Mundial e dez seguem na competição. Destaque para a fraca campanha da atual campeã, Alemanha, que pela primeira vez disse adeus à competição ainda na fase de grupos. O time de Joachim Löw terminou em último lugar no Grupo F: perdeu de 1 a 0 para o México, venceu a Suécia por 2 a 1 com um gol histórico de Toni Kroos no último minuto da partida (veja vídeo abaixo) e perdeu por 2 a 0 para a Coreia do Sul.

Entre as seleções africanas que participaram da primeira fase da Copa (Egito, Marrocos, Nigéria, Tunísia e Senegal), nenhuma conseguiu vaga nas oitavas. O melhor aproveitamento entre as seleções classificadas ficou com o continente sul-americano, já que o Peru foi único que não garantiu vaga no mata-mata. Uruguai, Argentina, Brasil e Colômbia avançaram. Os vizinhos da América do Norte tem o México como representante e a Ásia tem o Japão na briga. A Oceania tinha apenas um representante: a Austrália, que foi eliminada.

Eu quero ver gol
Os torcedores que acompanharam aos jogos não têm do que reclamar: a primeira fase terminou com 122 gols marcados e apenas um jogo sem gols: o 0 a 0 entre França e Dinamarca, pela terceira e última rodada da fase de grupos. Esta também foi a primeira vez que todas as seleções participantes marcaram pelo menos dois gols cada. 

E por falar em gol, o artilheiro do Mundial até aqui é o "Furacão" inglês Harry Kane, com 5 gols. Atrás dele estão Cristiano Ronaldo e Lukaku, ambos com 4 tentos.

Harry Kane é o artilheiro da Copa do Mundo da Rússia. (Foto: Reprodução/Instagram)

Outro dado interessante é que dos 122 gols marcados, 31 foram feitos por jogadores que atuam na Espanha. Entre eles estão os brasileiros do Barcelona Philippe Coutinho e Paulinho, o português Cristiano Ronaldo, do Real Madrid e o argentino Lionel Messi, também do Barcelona.

Copa do Mundo e árbitro de vídeo
Como já era esperado, a maior novidade da Copa para este ano foi o árbitro de vídeo. Entre críticas e elogios, a utilização do recurso gerou polêmica durante a competição. Com o fim da primeira fase, a ESPN publicou uma reportagem em que mostra como teria sido até aqui a Copa do Mundo se o VAR (traduzindo árbitro assistente de vídeo) não existisse.

De acordo com a reportagem, foi levado em conta apenas os resultados efetivos da utilização do VAR, já que é impossível medir o fator psicológico de uma revertida, cartão recebido ou pênalti perdido. Então, o que seria diferente?

Uso do árbitro de vídeo na Copa da Rússia 2018. (Foto: Reprodução/FIFATV)

Grupo A
O grupo ficaria igual: o Uruguai terminaria em primeiro, Rússia em segundo e o Egito de Salah continuaria sem chances de avançar para o mata-mata, já que o pênalti dado pelo VAR após o juiz não marcar o lance em campo, resultou em um gol de Salah. Seria 3 a 0 para a Rússia.

Grupo B
O grupo terminaria de outra maneira: os dois primeiros lugares seriam invertido. Portugal seria líder do grupo com 7 pontos e a Espanha com 4 pontos em segundo lugar. Duelos das oitavas também seriam alterados: Espanha pegaria Uruguai e Portugal encararia a Rússia.

Grupo C
O grupo também teria inversão na posição dos classificados. A Dinamarca passaria em primeiro no grupo com 7 pontos e enfrentaria a Argentina. A França, em segundo com 5 pontos enfrentaria a Croácia. Neste ponto é bom lembrar que França e Dinamarca se enfrentaram na terceira rodada já garantidos e protagonizaram o primeiro 0 a 0 da Copa 2018.

Grupo D
Ficaria da mesma forma. A Croácia continuaria em primeiro, com 9 pontos, e a Argentina se classificaria em segundo, com 4 pontos.

Grupo E
Ficaria igual. O Brasil se classificaria em primeiro da mesma forma e Suíça em segundo, sem novidade.

Grupo F
Ficaria igual. A Coreia venceria a Alemanha mesmo com a revisão, que "tiraria" um gol dos asiáticos. Assim, a Suécia permaneceria em primeiro, e o México seguiria na segunda posição.

Grupo G
Ficaria igual. O árbitro de vídeo não entrou em campo em nenhuma das seis partidas do grupo na primeira fase. Formado por Bélgica, Inglaterra, Tunísia e Panamá o grupo foi o único que não teve a ajuda da tecnologia na competição.

Grupo H
Também ficaria igual. Único lance que poderia mudar o grupo aconteceu no primeiro tempo de Senegal x Colômbia, com o pênalti marcado para os africanos e depois de revisado, "desmarcado". 

A estrada para o hexa
A seleção brasileira joga contra o México na próxima segunda-feira (2), às 11h. Caso passe para as quartas, o Brasil pega a Bélgica ou o Japão. Em seguida, em uma possível semifinal, o time canarinho pode enfrentar Argentina, França, Uruguai ou Portugal.

(Foto: André Mourão / MoWA Press)

Outro fator importante é o fair play. Os cartões amarelos da fase de grupos só serão zerados na semifinal e o Brasil tem três jogadores pendurados: Neymar, Coutinho e Casemiro.

*Sob supervisão do repórter Luiz Almeida