Esportes

Saiba quais são os recordes que o Brasil pode bater em Tóquio

Com um número de atletas maior, maiores também são as chances de quebra de recordes

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Falta pouco para o início oficial das Olimpíadas de Tóquio. Depois de um ano ade adiamento, por conta da pandemia do novo coronavírus, os Jogos começam nesta sexta-feira (23) com algumas mudanças, como a ausência de público, modalidades novas e grandes nomes de fora. Nesse cenário, o Brasil pode bater recordes coletiva e individualmente.

O time do Brasil nesta edição é o maior da história em Olimpíadas fora do país. São 303 atletas e 18 reservas, que podem ser utilizado em alguns esportes coletivos, como futebol e handebol, e em equipes de atletismo, tênis de mesa e hipismo. O número só é menor do que a delegação que disputou o Rio-2016. Isso porque, por ser "dono da casa", o Brasil conquistou muitas vagas de forma automática. 

Com um número de atletas maior, maiores também são as chances de quebra de recordes. Confira quais são as possibilidades:

  • Recordes de medalha:

O maior número de medalhas conquistadas pelo Brasil em uma Olimpíadas foram 19 e aconteceu no Rio-2016. Nessa projeção feita pelo iBahia, a possibilidade de medalhas do Brasil passa dos 20.

  • Recordes de ouro:
  • Maior número de esportes no pódio:

Nas Olimpíadas do Rio em 2016, a delegação brasileira chegou ao pódio em 12 modalidades diferentes. Foram elas: atletismo, boxe, canoagem, futebol, ginástica, judô, natação, taekwondo, tiro esportivo, vela, vôlei e vôlei de praia. Agora, com a inclusão de novos esportes, como surfe e skate, no qual o Brasil tem chances reais de medalha, é bem provável que esse número seja superado.

  • Atletas com maiores participações em Olimpíadas:

Dos 303 atletas brasileiros que estão indo para as Olimpíadas, quatro garantirão um recorde: o de participação em Jogos Olímpicos pela sétima vez. O velejador paulista Robert Scheidt, 48 anos, a jogadora de futebol Formiga, de 43, o cavaleiro Rodrigo Pessoa, de 48 anos, e a ciclista Jaqueline Mourão, 45, são os mais veteranos brasileiros em Jogos Olímpicos.