Copa 2018

Senegal aproveita falhas da Polônia e vence por 2 a 1 na primeira vitória africana na Copa

Senegaleses conquistaram três pontos e terminaram a primeira rodada na liderança do grupo H

Agência O Globo
Num jogo de poucas emoções, Senegal garantiu a primeira vitória de equipes africanas nessa edição da Copa, ao vencer a Polônia por 2 a 1, gols de Gueye e Niang. Nessa terça, o estádio Spartak, em Moscou, recebeu uma partida em que os dois times não se arriscaram muito. No fim, venceu quem errou menos. Ao aproveitarem duas falhas da defesa adversária, aliado a uma dose de sorte no primeiro gol, os senegaleses conquistaram três pontos e terminaram a primeira rodada na liderança do grupo H, empatados com o Japão.
Os dois goleiros não precisaram trabalhar muito durante os 90 minutos, e as grandes estrelas de cada elenco, Lewandowski do lado polonês, e Sadio Mané do lado de Senegal, não tiveram grandes exibições, apesar de claramente apresentarem nível técnico acima da média do jogo. As duas propostas eram bem claras: enquanto a Polônia queria a bola, e tentava controlar o jogo, Senegal apostava nos contra-ataques.
Entretanto, nenhum dos dois times conseguiu, de fato, impôr o estilo que desejava. Em nenhum momento, a Polônia deu sinais de que controlava a partida, e não conseguiu penetrar a segura defesa senegalesa. Já o time africano, apesar de algumas arrancadas em velocidade, não conseguia transições suficientemente velozes. Os europeus tiveram 59% de posse e 10 finalizações, dois a mais que o adversário.
O primeiro foi bastante equilibrado, com muita correria e aplicação, mas pouca criatividade. Nenhuma das duas estratégias foi muito bem sucedida, e os números até o intervalo foram de oito finalizações, sendo apenas uma na direção do gol. O tento, é bem verdade, veio de uma saída rápida de Senegal, após Niang roubar a bola no meio campo. Mas houve também uma boa dose de sorte no chute de Gueye, que contou com desvio na defesa para enganar Szczesny.
A Polônia, que teve 54% de posse no primeiro tempo, começou o jogo melhor. A principal opção ofensiva eram as investidas de Grosicki pela ponta esquerda. Jogando num 4-2-3-1, a equipe europeia abusava dos cruzamentos e das jogadas pelas extremidades, mas Lewandowski era pouco acionado. Sua primeira chance de finalização foi aos 22 minutos, quando recebeu na entrada da área, matou uma bola difícil no peito e girou bonito, mas o chute saiu mascado.
Já Senegal jogava num 4-4-2 bem definido, com dois atacantes enfiados, Niang e Diouf, e a estrela Sadio Mané aberto pela esquerda. A primeira boa chance do time foi aos 16 minutos, numa arrancada do lateral esquerdo Sabaly, que serviu Niang. O centroavante, porém, chutou muito mal da entrada da área.
O time africano melhorou quando Mané e Niang passaram a trocar de posição. Saindo da ponta esquerda, onde ficou muito preso, para dentro, o atacante do Liverpool foi mais perigoso. E as inversões constantes confundiam a marcação. O gol, inclusive, saiu num momento em que os dois estavam invertidos: Niang roubou a bola de Kuba no meio campo, e arrancou até tocar para Mané, que serviu Gueye. Da entrada da área, o volante acertou um chute cruzado sem muita força, que não parecia ser o suficiente para superar Scezny. Mas a bola desviou em Cionek e morreu no fundo das redes.
No início do segundo tempo, Lewa fez boa jogada. Ele roubou a bola no meio campo e arrancou em direção no gol, até ser parado, com falta, por Sané, que recebeu cartão amarelo. Na cobrança, o centroavante chutou bem, mas o goleiro Diallo fez boa defesa. Logo depois, Mané teve boa chance num cruzamento pela esquerda, mas a bola foi bloqueada.
O segundo gol veio de um misto de desatenção da Polônia e mérito de Niang, aos 15 minutos do segundo tempo. O volante Krychowiak deu um chutão do meio campo, recuando para o goleiro, mas Bednarek pareceu não estar atento ao lance e, em vez de proteger a bola, permitiu a chegada em velocidade de Niang, que deu um toque antes de Szczesny chegar, e depois completou para as redes. Após o lance, a Polônia reclamou muito da arbitragem, alegando que o juiz autorizara o retorno de Niang, que estava sendo atendido fora de campo, no meio de um lance perigoso. De fato, o melhor seria esperar o lance terminar para a entrada do atacante ser autorizada. Ainda assim, a falha da zaga foi evidente.
Com o 2 a 0, Senegal conseguiu se fechar bem, e praticamente não sofreu. Por outro lado, mal ameaçava nos contra ataques, Aos 25, Milik se antecipou bem à defesa senegaleses e fechou no primeiro pau, dando leve desvio, numa finalização perigosa. Foi seu último lance no jogo, depois disso entrou o centroavante Kownacki, para fazer companhia a Lewandowski dentro da área.
Mas a impressão é de que a Polônia só conseguiria chegar ao gol na bola parada. E foi assim que o time conseguiu alterar o placar. Aos 41 minutos, numa cobrança de bola na área, Krychowiak deu bela cabeçada para fazer o gol e botar emoção no jogo. Mas, no fim, os poloneses não conseguiram nenhum outro lance de perigo, e Senegal garantiu a importante vitória.