St-Pierre oficializa pausa e abre mão do título no UFC

Com isso, o cinturão fica em aberto e será disputado entre Johny Hendricks e Robbie Lawler no UFC 171

Redação iBahia (esportes@portalibahia.com.br)
- Atualizada em
Em sua última luta, St-Pierre venceu Hendricks por decisão dos jurados que dividiu opiniões

Campeão meio-médio do UFC, o canadense Georges St-Pierre anunciou que vai dar uma pausa por tempo indeterminado. Nesta sexta-feira (13), durante conferência à imprensa, ele explicou a decisão e contou com a anuência do chefão do Ultimate, Dana White. Com isso, o cinturão fica em aberto e será disputado entre Johny Hendricks e Robbie Lawler no UFC 171, no dia 15 de março, em Dallas, nos Estados Unidos. GSP negou que decisão tenha relação com o resultado polêmico da sua última luta.


"Essa decisão foi tomada antes da luta. Para toda luta você tem muita pressão nos ombros. Fisicamente estou 100%, mas mentalmente sinto que não posso entrar em outro camp agora, e não sei quando estarei pronto. Tenho que manter o equilíbrio mental. Não quero que o UFC espere por mim, por isso abdiquei do meu título. Um dia vou me sentir bem de novo, aí poderei ser o desafiante. Preciso ter uma vida normal por um tempo", desabafou o lutador, que conquistou o título interino em 2007 e unificou o cinturão em 2008. Ele já havia sido campeão em 2006, mas perdeu em 2007.


St-Pierre também falou o que fará daqui para frente. "Agora vou seguir treinando, ficando melhor. Muita coisa tem que mudar. Vou poder viver mais a vida normal. A questão é que minha maior qualidade é também um grande problema: fico completamente obcecado por uma coisa. É uma coisa louca. Vou focar mais em coisas normais agora. Se eu voltar um dia, voltarei muito melhor e mais forte".


Dana aprova - O chefão do Ultimate, Dana White, compreendeu os motivos da pausa de St-Pierre e, pela primeira vez, mostrou apoio ao canadense, que já dava sinais de que iria parar. "Concordo com Georges 100%. Ele disse que tem muitos problemas pessoais com os quais está lidando. Isso está deixando Georges louco. Eu concordo. Se você não estiver dentro disso, tem que ficar um pouco de lado. Acho que foi uma boa decisão". O lutador canadense tem 27 lutas em seu cartel, com 25 vitórias e apenas duas derrotas. No UFC, foram 21 combates, com 19 triunfos. Invicto há 12 lutas, ele fez nove defesas seguidas de cinturão.