Copa 2018

Suécia reencontra bom futebol, supera México e garante vaga nas oitavas

Beneficiados por vitória da Coreia do Sul, astecas também avançam

Stéfano Salles, da Agência O Globo
Pressionada pela necessidade de vencer para avançar às oitavas de final, a Suécia fez contra o México seu melhor jogo nesta Copa do Mundo. Bons passes, velocidade e finalizações calibradas: tudo o que faltou contra Coreia do Sul e Alemanha, os escandinavos conseguiram apresentar contra os displicentes astecas. Comprometida com o resultado, a seleção europeia venceu por 3 a 0, na Arena de Ecaterimburgo, graças a um segundo tempo eficiente, e garantiu o resultado. A vaga veio com seis pontos e a liderança do Grupo F. O México, segundo colocado, também avançou, beneficiado pela vitória da Coréia do Sul, por 2 a 0.
A escalação mexicana divulgada antes do jogo provocou estranheza até mesmo ao torcedor mais fiel, mas não estava errada. Adepto do rodízio, Juan Carlos Osorio surpreendeu a todos fazendo aquilo que ninguém esperava: deixou tudo igual, repetindo o time que vencera a Coreia do Sul por 2 a 1, na segunda rodada. Mas o desempenho não esteve nem mesmo proximo de ser o mesmo. Agora as equipes aguardam os primeiros colocados do Grupo E, do Brasil. Os confrontos serão feitos em cruzamento olímpico.
Na primeira etapa, o goleiro Guillermo Ochoa fez valer o apelido de "Muro do México", adotado desde que o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou o desejo de demarcar com concreto a fronteira entre os dois vizinhos. O jogador do Standard de Liége, da Bélgica, foi muito exigido e teve boa atuação individual. Fez bela defesa de cobrança de falta de Forsberg, evitando a abertura do placar, na terceira vez que foi acionado em cinco minutos de partida.
Aos 27 minutos, Chicharito interceptou a bola pelo alto e tentou matá-la no peito, mas ela bateu no braço, na altura do ombro, antes de ele sair jogando: a seleção sueca pediu pênalti, e o VAR foi acionado, mas o árbitro argentino Nestor Pitana não marcou a infração, para desespero sueco.
GOLS NA SEGUNDA ETAPA
Depois de tanto insistir, a Suécia chegaria ao gol por acidente. Aos quatro minutos, Claesson recebeu na altura da marca do pênalti para abrir o placar, mas furou. A bola sobrou para Augustinsson. O jogador do Werder Bremen bateu forte, cruzado, para vencer Ochoa e deixar os europeus em vantagem.
Dez minutos depois, Moreno interrompeu veloz contra-ataque sueco com um carrinho em Berg dentro da área: pênalti. O zagueiro Granqvist mostrou categoria incomum para a posição e cobrou no ângulo direito. Ochoa não alcançou: Suécia 2 a 0.
DESATENÇÃO COMPROMETEDORA
Os gols não mudaram muito a postura do México em campo. Obrigado a ser mais ofensivo, o time de Osorio encontrava dificuldade para sair jogando. Erros de passe e lançamentos tornavam longa a agonia do animado público mexicano, que vivia seu dramalhao particular: um gol da Alemanha contra a Coreia do Sul em Kazan poderia eliminar a seleção.
Embora fizesse sua melhor apresentação no Mundial, a Suécia contou com importante colaboração do México para obter um placar tão dilatado. Aos 28 minutos, Thelin desvia cobrança de lateral para a área e Toivonen busca a finalização. Nem precisava: afobado, Álvares tocou a bola para o fundo do gol e ampliou a vantagem sueca: 3 a 0. A partir de então, as atenções do público estavam voltadas para o jogo de Kazan onde, nos minutos finais, a Coreia do Sul surpreendeu os atuais campeões mundiais, que voltam para casa mais cedo com a lanterna na bagagem.