Futebol

Time do Instituto de Cegos da Bahia não tem grana para competição na Europa

Melhor equipe do futebol de cinco do Brasil e base da Seleção, ICB vive drama para jogar mundialito na Europa em maio

Rafael Sena (rafael.sena@redebahia.com.br)
- Atualizada em
Jefinho, melhor do mundo, ao lado do técnico Gerson Coutinho

Tetracampeão brasileiro e base da Seleção que é tri mundial e tri paralímpica. A rotina do time do Instituto de Cegos da Bahia, multicampeão no futebol de cinco, dispensa comentários. Está para sua modalidade assim como o Barcelona está para o futebol mundial tradicional. Se o Barça tem Messi, o ICB tem Jefinho, eleito duas vezes melhor jogador do mundo. A equipe é temida por onde passa, é favorita em qualquer campeonato que disputa. Mas o time do Instituto de Cegos da Bahia está enfrentando talvez o seu maior desafio: a falta de apoio financeiro. Recentemente a equipe recebeu convite da Bučovice Blind Fooball Cup 2013, espécie de mundialito do futebol de cinco, cuja primeira edição acontece entre os dias 24 e 26 maio, na República Tcheca.Com prestígio internacional, o ICB foi o único time de fora do circuito europeu a receber o convite. Entusiasmo generalizado dos jogadores e do técnico Gerson Coutinho. Mas o nó aperta no bolso. O ICB precisa de cerca de R$ 30 mil para custear a viagem e esse dinheiro ainda não existe. "Primeira vez que uma competição internacional como essa convida um time de fora. Ainda não conseguimos nenhum apoio. É muito difícil. Estamos pedindo a ajuda a empresários, a quem quiser ajudar. Oferecemos a camisa para colocar publicidade. Estamos atirando para tudo que é lado", lamenta Gerson Coutinho, professor de educação física e técnico do ICB há dez anos. Apesar das dificuldades, Coutinho confia na ida à Europa. Mais: está convicto de que seus comandados vão para levantar o caneco.

Com Selmi ao centro, equipe do ICB levanta mais um título brasileiro do futebol de cinco; Jefinho é o último à direita



"É bom a gente participar porque temos um time muito forte. Somos tetracampeões brasileiros e temos a base da

Seleção. Nossos três jogadores são titulares na Seleção (Jefinho, Cássio e Gleidson). Vamos pra lá com grande chance de ser campeão. É o nome da Bahia que vai ser bem representado. Da Bahia e do Brasil. Tenho certeza de que vamos pra vencer. Quem apoiar não vai se arrepender", garante o treinador.


CBVD desconversa sobre apoio - O iBahia Esportes procurou a Confederação Brasileira de Desportos de Deficientes Visuais (CBVD) e recebeu a informação de que o apoio é incerto. De acordo com a assessoria do órgão, o presidente Sandro Laina já foi procurado pelo técnico Gerson Coutinho. "Ainda não sabemos se vamos poder apoiar. Antes, precisamos entrar em contato com os organizadores do evento para saber das possibilidades. De qualquer forma o caso já está sendo estudado", diz a nota enviada pela Confederação.


Fora o Instituto de Cegos da Bahia, a Bučovice Blind Fooball Cup 2013 vai unir mais seis equipes: Worcester BFC (atual campeão inglês), MTV Stuttgart (campeão alemão), FC St. Pauli Hamburgo (tradicional time alemão e atualmente sexto colocado no Nacional), Saint-Mandé (tradicional equipe francesa e base da seleção nacional), BFC Praha (atual campeão tcheco) e o Avoy MU Brno (campeão tcheco em 2011 e organizador do evento).


A competição será disputada de acordo com as regras da IBSA, a Fifa do futebol de cinco. O Avoy MU Brno vai cobrir as despesas de alojamento e alimentação e também dos custos de transporte para o aeroporto, local dos jogos e centro de treinamento. O resto é com cada um. Mesmo na incerteza, o ICB segue sua rotina de treinamentos. Treino técnico e tático às terças, quintas e aos sábados e academia às segundas e quartas, sempre na Unime, em Lauro de Freitas. Parceira do time, a faculdade empresta de graça toda a sua infra-estrutura.

Com o técnico Gerson (à direita) no comando, time já conquistou o tetracampeonato brasileiro e é base da Seleção

"Ficaríamos muito felizes com esta possibilidade de viajar. Se a gente conseguir, vamos trazer o título para o Brasil. Queremos trazer este título para o país. É o título que nos falta. Fomos campeões em tudo que disputamos. Seria maravilhoso", acredita Selmi Nascimento, atacante do ICB. Selmi esteve com a Seleção campeã da Copa América 2006. "Com fé nós iremos para esta competição", completa ele, que também é secretário de esportes do município de Conceição do Almeida. Início complicado - O ICB nasceu em 2003. Logo no primeiro ano, a equipe conquistou a vaga para a Série A do Brasileiro, que hoje conta com 12 times. Mas naquela época não havia dinheiro para as despesas da viagem e o ICB acabou fora do torneio em 2004. Pior: precisou jogar a Segundona em 2005. A consolidação só veio no ano seguinte, já com apoio suficiente para se manter na elite. A consagração veio com títulos consecutivos em 2009, 2010, 2011 e 2012. Coutinho explica que os atletas contam com o apoio do governo do estado através do Faz Atleta, mas não é o suficiente. "A bolsa é apenas para a manutenção deles. Não é bolsa para ajudar em viagens. Alimentação, material, tudo é comprado com o dinheiro deles. Não temos apoio para outras coisas. Estamos sempre na luta para fazer o melhor time do Brasil. Continuo porque chegarmos neste nível. Não podemos parar", completa o treinador. Leia mais

Craques vendados, baianos dão exemplo de superação no futebol de 5