Futebol

Titular do Bayern, Dante revela que já queria atuar agora no Bahia: "posso ser ídolo"

Sofrendo a distância, Dante revela desejo de atuar no clube do coração e ajudar a recuperar a credibilidade do tricolor

Angelo Paz (angelo.paz@redebahia.com.br)
- Atualizada em
Dante quer jogar no Bahia

Basta descer a ladeira, pegar o Dique e chegar à Fonte Nova, o castelo encantado de Dante. De tanto repetir esse caminho, o garoto do Largo do Binóculo, na Federação, passou a amar o Bahia, clube (acredite) que o zagueiro do Bayern de Munique, da Alemanha,  queria jogar neste exato momento.


“A única coisa que eu gostaria mesmo era de jogar agora, que eu estou bem. Não esperar final de carreira. Queria chegar aqui um grande Dante pra ser adorado pela torcida, ajudar o time a ganhar, fazer história pelo clube.  Esse é o Dante que eu queria ver no Bahia”, diz o empolgado tricolor, 31 anos, e com mais três de contrato com o Bayern.


Vontade à parte, o zagueiro, reprovado nas peneiras da dupla Ba-Vi na adolescência e que despertou interesse do futebol europeu após surgir no Juventude, do Rio Grande do Sul, mostra uma certa tristeza com o clube do coração.


“Fico muito triste  pelo Bahia, pois sou torcedor, acho que é um clube que tem uma grandeza enorme quando se fala de torcida, de tradição, história e que não tem encontrado uma estabilidade para permanecer na primeira divisão, pra ter uma temporada tranquila”, relata Dante.


Ele fez questão de recordar o dia do rebaixamento: “Estava acompanhando o jogo e fiquei triste demais. Ainda mais porque o Bahia fez logo dois gols no Coritiba, o Palmeiras tomou um e o Vitória estava empatando. A gente estava se salvando. Mas não deu”.


Estilo despojado e à vontade na casa da mãe, nas férias em Salvador, Dante deu detalhes do vídeo gravado pelos alemães  Schweinsteiger e Neuer com a camisa do Bahia em Santa Cruz Cabrália, no Extremo Sul do estado, que virou sucesso na Copa.  


“A história foi que a nova camisa do Bayern na época era parecida com a do Bahia. Eu, antes da Copa, estava muito eufórico. Falei: ‘É a camisa do meu time, lá da Bahia, vocês vão ver, vão conhecer. Chegar lá vocês vão gostar’. Aquele vídeo eles gravaram pra me enviar e gostei muito. Eles têm um grande carinho pelos baianos”, conta Dante, presente na Seleção Brasileira na Copa do Mundo.


Autobiografia

Após seis temporadas no futebol alemão, onde também atuou no  Borussia Mönchengladbach, o zagueiro tem até uma autobiografia lançada em alemão: “Ich, Dante” (Eu, Dante). A meta agora é o lançamento em português. “Minha história também deve interessar ao meu povo”, frisa.


Correio24horas