Futebol

Torcedor corintiano confessa ter disparado sinalizador que matou boliviano

Ele alegou que se atrapalhou com o artefato e que não tinha intenção de matar o garoto de 14 anos Kevin Beltrán

Da Redação (esportes@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Em entrevista ao programa Fantástico, da TV Globo, o torcedor corintiano de 17 anos que confessou ter disparado o sinalizador que resultou na morte do boliviano Kevin Douglas Beltrán Espada na última quarta, durante o jogo entre San José e Corinthians pela Copa Libertadores, afirmou não ter tido intenção de matar o garoto de 14 anos.


"Não, não fiz nenhum tipo de mira. Estava apoiado na minha mão assim. Para mim só ia acender e pronto, não sabia que o negócio ia sair voando assim ou algo parecido", explicou o corintiano de 17 anos, que há dois faz parte da torcida organizada Gaviões da Fiel e comprou o sinalizador na Rua 25 de Março.


Ele tentou explicar o que aconteceu. "Bom, naquele exato momento lá que o sinalizador disparou, nós estávamos comemorando o gol. Eu trouxe o sinalizador na minha mochila, estava dentro de uma sacola, eu fui acender, para mim, era como se fosse um igual aos outros. Eu tirei a tampinha em cima, puxei a cordinha embaixo e não aconteceu nada. No momento que eu fui puxar de novo, eu estava manuseando, não sabia como manusear, puxei pela segunda vez e disparou, foi para a torcida boliviana".


Ainda de acordo com o brasileiro, ele só soube da morte do torcedor boliviano no ônibus, quando voltava para o Brasil. Quando pensou em se entregar na estrada, foi aconselhado por outros torcedores a chegar no país. O torcedor de 17 anos ainda diz que não está protegendo ninguém da torcida. "Não, não protegi ninguém não. Eu só quero assumir meu erro mesmo. Porque não é certo as pessoas pagarem por uma coisa que não fizeram, se eu tivesse no lugar delas, também não queria pagar com uma coisa que eu não fiz, ficar preso injustamente".


O torcedor do Corinthians, que deu entrevista ao lado da mãe, também se desculpou com a família de Kevin. "Primeiramente, perdão mesmo. Não só para a família do Kevin, mas para a família dos meninos que estão presos lá também. Eu me sinto a pior pessoa do mundo. Não sei mais o que fazer da minha vida. Me arrependo amargamente".


Leia mais

Gaviões: autor de disparo de sinalizador é menor e se entregará