Futebol

Torcedor do Flamengo tatua o gol de Gabigol que deu o título da Libertadores

Jacques Júnior já havia decidido eternizar conquista do time do coração antes mesmo da final acontecer

Marjoriê Cristine, da Agência O Globo
- Atualizada em

Até onde vai o seu amor por um time de futebol? Uma loucura de viagem, pular catraca em um estádio ou simplesmente fazer tatuagem do time do coração. Pelo Flamengo, Jacques Junior é capaz de fazer quase tudo. Com apenas 18 anos, o torcedor de Teresópolis, na Região Serrana do Rio de Janeiro, eternizou na pele a sua paixão pelo Rubro-Negro e a admiração por Gabriel Barbosa, o Gabigol. Sem dinheiro para viajar a Lima, no Peru, para assistir a final da Copa Libertadores contra o River Plate, o jovem viu uma TV de um bar perto de casa o Flamengo conquistar o bi da América. A aflição partida se transformou em choro de alegria com o título no dia 23 de novembro de 2019. Menos de 24 horas depois, ele tatuou no braço direito a jogada do gol de Gabigol.

Foto: Divulgação/Entrelinhas Tattoo Studio

A decisão de fazer a tatuagem aconteceu ainda na manhã de sábado, horas antes da partida. Junior esteve com a tatuadora Duda, da "Entrelinhas Tattoo Estúdio", e marcou que às 9h30 de domingo faria um desenho do título da Libertadores. A confiança estava alta, afinal, o Flamengo nem havia jogado com o River Plate ainda. Após a vitória de 2 a 1, de virada, com dois gols de Gabigol, o torcedor acessou a internet para encontrar a melhor imagem para ser reproduzida na pele. Não foi uma tarefa fácil. Mas o perfil do camisa 9 rubro-negro foi a inspiração que faltava.

– Pegamos uma foto no Instagram do Gabigol, improvisamos com o símbolo do gol e a Duda fez esse desenho em pouco mais de uma hora. E ficou pronta bem rápido, em 1h10, mais ou menos. A Duda tem traços finos, fica mais fácil – diz.
Foto: Divulgação/Entrelinhas Studio Tattoo
O resultado surpreendeu Junior, que não esperava um desenho tão perfeito. Mas a tatuadora já estava acostumada com as loucuras do flamenguista, que fez a terceira tatuagem em homenagem ao Flamengo só em 2019. A primeira foi em janeiro, logo quando completou 18 anos: o escudo do time na costela. Sete meses depois, em julho, fez o escudo do remo no antebraço esquerdo junto com a frase "sempre te amarei, onde estiver estarei", que faz parte de uma famosa música entoada pela torcida.

– Eu liguei para Duda, e ela disse: "Eu já sei". O resultado foi melhor do que eu esperava. Quando eu fiz o print do gol, eu imaginava outra coisa, mas quando começamos e ficou pronto, eu não estava acreditando que estava muito melhor do que eu tinha imaginado – conta o torcedor.
Jacques tem o escudo do Flamengo tatuado na costela (Foto: Reprodução/Arquivo pessoal)

Funcionário de uma mecânica de motos em Teresópolis, Junior combinou de fazer o pagamento nesta semana. Mas como é frequentador assíduo estúdio, já está pensando até em uma quarta tatuagem: colocar duas estrelas no escudo do time, caso o título do Mundial de Clubes venha em dezembro. Se bobear, ainda viria um sexto desenho: a tríplice coroa. O rubro-negro 'despreza" o título do Campeonato Carioca deste ano, por isso, só vê a tríplice coroa se a equipe ganhar o Mundial.



A confiança de que essa taça vem está em Gabigol. Artilheiro da Libertadores, com 9 gols, e do Brasileirão, com 22, o atacante é o jogador preferido de Junior. O carioca justifica que o paulista, de 23 anos, tem a cara do Flamengo e e entendeu bem o que significa jogar no clube.

– Eu gosto desse moleque antes de ele estar no Flamengo. Ele joga muito. Chegou de tal forma no time, o jeito dele, a identificação com a torcida... Ele se expõe, vai para cima. As pessoas reclamam que ele é esquentado, mas ele é Flamengo, ele dá o sangue, mostra o que é o time. Gabigol não tem medo de nada, não deixa ninguém colocar a mão na cara ou medo nele. Eu sou novo, mas sei o que representa o Flamengo. Com ele, essa essência está se volta – afirma.