Futebol

Torcedores da Lusa planejam 600 ações individuais na justiça comum

Batizado de "Todos Vamos a Luta", o movimento quer prestar assistência jurídica para quem quiser contestar a decisão do tribunal

Correio 24h (esportes@portalibahia.com.br)
Torcedores da Portuguesa estão se organizando para entrar com 600 ações individuais na Justiça contestando o rebaixamento do clube. O time paulista caiu para a segunda divisão depois do julgamento do STJD, que tirou 4 pontos da Lusa pela escalação irregular de um jogador. Com a decisão, o Fluminense acabou conseguindo escapar da queda.Batizado de "Todos Vamos a Luta", o movimento quer prestar assistência jurídica para quem quiser contestar a decisão do tribunal. "Nossa contestação se baseia no Estatuto do Torcedor e é inspirada nas ações dos corintianos que conseguiram entrar no Pacaembu apesar da decisão do Conmebol", disse ao Uol Daniel Freitas, porta-voz do movimento, lembrando de corintianos que conseguiram liminares contra o vento à entrada de torcedores no estádio, em fevereiro do último ano. "Juntamos passagens de avião, ingressos e outros gastos dos torcedores. Vamos mostrar que torcedores foram lesados, já que gastaram dinheiro para ver os jogos e o resultado de campo não foi respeitado", diz ainda. Segundo ele, a diretoria da Lusa não tem nada a ver com o movimento.A Portuguesa também pode buscar reverter a decisão na Justiça Comum. Antes, o clube ainda pode entrar com recursos em outras esferas esportivas, como a Corte Arbitral do Esporte (CAS) e a Fifa. O clube ainda não definiu o que deve fazer. O Ministério Público de São Paulo também faz uma investigação para analisar o caso. O promotor Roberto Senise Lisboa deve emitir um parecer na quarta-feira sobre o tema, considerando se houve desrespeito aos consumidores.Para Freitas, a diretoria do clube age devagar. "Sinceramente, nossa visão é de que se deixarmos para a diretoria do clube, nada será feito", diz. O movimento conta com um grupo de advogados que auxilia os torcedores nas peças jurídicas, cada um com pequenas mudanças para que não parece uma "ação orquestrada", segundo Freitas. O advogado Delmiro Aparecido Gouveia, de Mogi das Cruzes, entrou com ação no Juizado Especial da cidade contra a CBF e o STJD. Correio 24h
Torcedores da Portuguesa fazem movimento e planejam entrar com 600 ações contra tapetão