Futebol

Vitória e Bahia chegam ao clássico com defesas em má fase

Com desfalques em ambos os times, garotos Ramon, no rubro-negro, e Rodrigo Becão, do tricolor, devem ser titulares na zaga

Vitor Villar, do Correio 24h

O equilíbrio do Ba-Vi deste domingo (2), o primeiro pela Série A e o sexto do ano, começa pelos números da zaga. Tanto Vitória como Bahia chegam ao clássico com defesas em momento ruim, titulares contestados e, para completar, desfalques neste setor.

A dupla sofreu praticamente o mesmo número de gols em dez rodadas de Série A. Foram 15 para o rubro-negro e 14 para o tricolor. O momento de cada defesa também é muito semelhante: ambas sofreram nove gols nos últimos cinco jogos.

Ramon e Rodrigo Becão devem ser titulares (Fotos: Mauricia da Matta / EC Vitoria e Felipe Oliveira / EC Bahia)

Toda essa dificuldade passa por falhas recentes dos seus titulares. No Leão, Fred é o alvo principal das críticas da torcida, ainda mais depois de falhar duas vezes no último jogo do Vitória no Barradão, a derrota por 2x0 para o Santos.

No primeiro gol do Peixe, o zagueiro deu a bola de presente para Bruno Henrique puxar o contra-ataque. No segundo, Fred errou feio o bote sobre o atacante santista.

Mesmo tormento passa Lucas Fonseca no Esquadrão. O defensor, que vivia fase segura no início da Série A, prejudicou o time ao ser expulso na derrota por 1x0 para o Flamengo na Fonte Nova.

O zagueiro deixou o campo com apenas 30 minutos de jogo. Recebeu o primeiro cartão amarelo por reclamação e o segundo após deixar o pé numa dividida com Guerrero. Ainda virou piada nacional ao simular ter levado um soco.

O torcedor mais maldoso pode até considerar benefício, então, o fato de que os dois são desfalques para o Ba-Vi de domingo. Lucas Fonseca, obviamente, vai cumprir suspensão pelo cartão vermelho contra o Flamengo, e Fred por causa de um incômodo na parte posterior da coxa direita.

Jovens no lugar

Os prováveis substitutos de Fred e Lucas Fonseca também colocam Vitória e Bahia com algo em comum no clássico. A incumbência tem tudo para cair no colo de dois garotos: Ramon pelo rubro-negro e Rodrigo Becão pelo tricolor.

Aos 21 anos, Becão terá nova oportunidade de ganhar a confiança da torcida do Esquadrão. Na penúltima vez em que esteve em campo, substituindo justamente Lucas Fonseca, o zagueiro falhou. Foi na derrota por 3x0 para o Corinthians, em que escorregou enquanto marcava Fágner, que passou para Jô fazer o gol.

O técnico Jorginho, porém, fez questão de bancar o garoto. “A responsabilidade de escalar Rodrigo é minha. Em apenas um gol sofrido,  ele teve realmente culpa, que foi o lance do escorregão. Mas é um lance que acontece. É um zagueiro firme, da base, tenho total confiança nele. Entendo o torcedor. Como perdemos os jogos, naturalmente o torcedor vai criticá-lo”, disse.

Titular absoluto da zaga, o capitão Tiago lamentou a queda de rendimento da defesa, que no início do ano era colocada como um dos pontos mais fortes do Bahia. “Acho que se deve ao fato da gente agora jogar o Brasileirão. O nível é maior. Às vezes, o erro que você faz no estadual, as consequências não são tão grandes como quando você faz contra equipes maiores”.

Do lado rubro-negro, o problema é que Ramon ainda tem pouco entrosamento com o time. O zagueiro voltou de empréstimo ao Maccabi Tel Aviv, de Israel, no início de junho. Só jogou 44 minutos pelo Leão até agora, substituindo Fred na etapa final da derrota para o Atlético-PR por 4x1.

Antes dessa partida, Ramon estava há mais de um mês sem entrar em campo. Seu último jogo pelo Maccabi havia sido no dia 20 de maio.

Titular da zaga, Kanu reconhece os erros: “Temos que procurar dialogar muito nessa semana para corrigirmos estes erros e sairmos desta situação. Só depende da gente. Não vai faltar luta e entrega de todos aqui. Estamos cientes de que o nosso início de Série A não tem sido o que esperávamos”.