Copa 2018

Wenger dispara contra Neymar: 'Faz o que quer'

Para Wenger, a braçadeira de capitão já não é mais distribuída com base no perfil de liderança dos atletas

Agência O Globo

Fora do Arsenal depois de 22 anos no comando técnico, Arsène Wenger não tem poupado críticas na função de comentarista. Acompanhando o Mundial da Rússia pela rede de TV beIN Sports, o francês mostrou-se decepcionado com as escolhas dos capitães das equipes. E sobrou até para Neymar.

Para Wenger, a braçadeira já não é mais distribuída com base no perfil de liderança dos atletas. Para ele, a popularidade virou o critério preponderante, o que ele condena. Ao citar o brasileiro como exemplo, disse que ele “faz o que quer”.

“Os jogadores já não se distinguém pelo caráter. Hoje em dia, todos são uma estrela. E o capitão é quem tem mais likes. Dou o exemplo do Neymar. Ele é uma superestrela nas redes sociais, tem 170 milhões de seguidores. Ele faz o que quer. Não interessa quem é o capitão”, disparou Wenger.