Copa 2018

Xhaka e Shaqiri terão que pagar multa de R$ 40 mil por comemoração

Capitão da Suíça e treinador da Sérvia também são punidos após polêmicas na Copa

Bernardo Mello, da Agência O Globo
A Fifa poupou os suíços Granit Xhaka e Xherdan Shaqiri de uma possível punição pela forma como comemoraram seus gols na vitória sobre a Sérvia, na última sexta-feira. Xhaka e Shaqiri poderiam ser suspensos até as oitavas de final da Copa do Mundo, mas acabaram recebendo apenas multas de 10 mil francos suíços (cerca de R$ 40 mil) por terem feito gestos que remetem à bandeira da Albânia, numa crítica política aos sérvios.
Xhaka e Shaqiri são descendentes de albaneses e kosovares, povos que foram alvos de repressões dos sérvios nos tempos de Iugoslávia. Após a comemoração polêmica, Shaqiri não quis entrar em mais detalhes e disse que apenas foi "tomado pela emoção". O lateral Lichtsteiner, capitão da Suíça e que acompanhou seus colegas no gesto, também foi multado pela Fifa, mas em 5 mil francos suíços (R$ 20 mil).
A Fifa considerou que os três tiveram "conduta antidesportiva contrária ao espírito do Fair Play", enquadrando-os no artigo 57 de seu código disciplinar - "comportamento ofensivo e fair play" -, que não prevê suspensão de partidas. Havia o temor de que a entidade apresentasse uma punição com base no artigo 54, que fala em "provocar o público de modo geral", e que prevê multa mínima de 5 mil francos suíços e suspensão por duas partidas.
Também foram multados no equivalente a R$ 20 mil o técnico da Sérvia, Mladen Krstajic, e o presidente da federação sérvia de futebol, Slavisa Kokeza. Ambos foram considerados culpados de infringir o mesmo artigo 57 por conta de críticas à arbitragem - também com teor político - após a partida. Krstajic afirmou que a Sérvia é "perseguida" internacionalmente, comparando o desempenho da arbitragem - que ignorou um pênalti no sérvio Mitrovic - com as sanções por crimes contra a humanidade dadas contra políticos sérvios no Tribunal de Haia. Kokeza insinuou que o árbitro Felix Byrch ajudou a Suíça por ser alemão.
A federação de futebol da Sérvia também foi multada, em 54 mil francos suíços (R$ 205 mil), por "faixas e mensagens discriminatórias" exibidas por seus torcedores durante a partida contra a Suíça, além de objetos atirados em campo. A Fifa não detalhou quais foram as mensagens que ensejaram a punição. Nas redes sociais, circularam fotos de torcedores sérvios usando camisas estampadas com o rosto do ex-chefe do Exército Ratko Mladic, condenado por genocídio contra bósnios na década de 1990.