Mais de 30% milhões de trabalhadores sofrem de ‘Síndrome de Burnout’; saiba o que é e quais os sintomas


Foto: Reprodução

Quem tem uma rotina profissional agitada, com trabalho em excesso, precisa se cuidar para não entrar na estatística das vítimas da “Síndrome de Burnout”. No Brasil, de acordo com dados da Associação Nacional de Medicina do Trabalho, a doença atinge 30% dos mais de 100 milhões de trabalhadores.

A condição de estresse crônico, que passou a constar na classificação internacional de doenças da Organização Mundial da Saúde (OMS) em janeiro deste ano, é definida como um transtorno ocupacional.

A professora e advogada trabalhista Michelle Carvalho explica o que fez com que o burnout passasse a ser considerado uma doença ocupacional.

“Certo é que as mudanças que ocorreram no mundo do trabalho impor uma nova configuração organizacional e que exigiram novas qualificações e competências do trabalhador, apresenta como resultado o surgimento de novas doenças. E com certeza, os agravos mentais ocupa lugar de destaque. A necessidade do reconhecimento da síndrome como doença ocupacional se deu principalmente devido ao cenário pandêmico, que propiciou agravamento do nível de estresse nas relações de trabalho”, conta a professora.

A advogada aponta que as empresas têm um papel fundamental para evitar que seus trabalhadores sofram de burnout e devem adotar medidas para remediar a situação, caso o transtorno seja diagnosticado.

“sendo responsabilidade do empregador evitar o adoecimento dos seus colaboradores, bem como zelar por um ambiente de trabalho saudável, seja ele um ambiente presencial ou remoto, faz-se necessário adotar medidas de controle, a fim de preservar a empresa e seus funcionários. Os trabalhadores acometidos pela síndrome de Burnout, passam a fazer jus ao direito de estabilidade, auxílio-doença aposentadoria por invalidez, além de reparação judiciais”, explica Michelle Carvalho.

A OMS define a “Síndrome de Burnout” como resultado de um estresse crônico no trabalho que não foi administrado com sucesso. O transtorno tem como principais sintomas: esgotamento físico e mental, perda de interesse no trabalho, ansiedade e depressão.

Leia mais sobre Fala Bahia no iBahia.com e siga o portal no Google Notícias.