Fala Bahia

Instituto Jovens Periféricos realiza evento “Novembro Negro”

Da Redação (falabahia@redebahia.com.br)
- Atualizada em

Entre os dias 10 e 27 de novembro o Instituto Jovens Periféricos realizam o evento “Novembro Negro” em alusão ao dia da consciência negra. A ação tem como objetivo empoderar, afirmar e valorizar a beleza natural negra e dos seus traços físicos além do cunho estético que é apenas a ponta do iceberg. A atividade traz também uma discussão extra muros e ao mesmo tempo pretende ser um espaço de formação de pessoas em diversas áreas.


Na programação Workshops de Moda - Estilo e Imagem, Penteados Afros e Turbantes, Oficina Comida Afro, Auto-maquiagem para pele negra, bate papo com pessoas pretas que possuem uma história de Superação além de uma Oficina cultural afro com Capoeira, percussão, Desfile e Músicas.


A ação ocorre em formato remoto com atividades presenciais e online seguindo todas as recomendações e cuidados contra a covid-19 como o uso obrigatório de máscara, distanciamento social, dentre outros. Para participar das atividades basta realizar a inscrição no no instagram @jovens periféricos. Além do link você encontra maiores informações e a programação completa.


#PremioJNPP

#Cipo21Anos~


Instituto Jovens Periféricos 

O Instituto é um projeto social criado por Jadison dos Santos Palma, morador do bairro de Fazenda Coutos 3, com o intuito de mudar a vida de diversos jovens das periferias de Salvador e regiões. O Projeto atualmente com cerca de 350 alunos tem focado em melhorias e crescimento de cada um, desenvolvendo oficinas de moda, teatro, música, canto, estudos literários, inglês, dentre outros.


O Projeto visa alcançar os públicos diversos de todas as classes e categorias, trabalhando com inclusão social e buscando expandir para que maiores oportunidades possam surgir e mais jovens possam ser alcançados.


Com o foco em mobilizar toda cidade e adjacências, o projeto tem refletido na sociedade como um todo, criando impactos para os demais estados, que tem acompanhado através das diversas redes. As atividades realizadas, tem gerado diversos conhecimentos, não somente no âmbito cultural mais sim um desenvolvimento pessoal.


Utilizando metodologia já instituída pelo Projeto, as aulas são em sua maioria coparticipavas onde transforma o aluno em parte integrante no processo de aprendizado, tornando-o figura no polo ativo do desenvolvimento das atividades, de maneira que o mesmo se insere no processo e não se torna apenas aluno. A proposta visa trabalhar a autoestima dos participantes demonstrando aos mesmos as inúmeras possibilidades que o conhecimento pode proporcionar as suas histórias.