Notícias

Vandalismo gera prejuízo de R$ 1,7 milhão para Salvador

O valor seria mais do que suficiente para ser empregado em novos investimentos para a cidade

Redação (falabahia@redebahia.com.br)

Atos de vandalismo em equipamentos e espaços públicos continuam fazendo parte de uma triste realidade de Salvador. Segundo dados da Secretaria de Mobilidade (Semob), quase R$ 1,7 milhão já foi gasto pela Prefeitura para recuperar estruturas e mobiliários depredados. 

Os recursos gastos para reparar atos de vandalismo este ano seriam mais do que suficientes para a Prefeitura construir um novo posto de saúde - aquele localizado no Jardim Campo Verde, no Ceasa, por exemplo inaugurado em agosto deste ano, custou R$1,2 milhão. 

Além disso, cerca de R$ 280 mil foram destinados para reposição de cabos e luminárias após roubos. Até agosto, foram detidos oito indivíduos em flagrante furtando cabos do circuito de iluminação pública, sendo dois na região da Avenida Luiz Viana Filho (Paralela), um no Campo Grande, três na Avenida ACM e dois na Boca do Rio.

Na área de transporte urbano, de janeiro até agosto, a Semob contabilizou 41 abrigos de ônibus vandalizados na cidade. Os danos a essas estruturas causaram prejuízos de R$ 900 mil. 

A Companhia de Desenvolvimento Urbano de Salvador (Desal) estima o gasto mensal de R$ 25 mil para recuperar praças públicas vandalizadas. Desde janeiro, cerca de 100 espaços já sofreram algum tipo de depredação. Entre as praças danificadas este ano está a de Cosme de Farias, onde alguns dos equipamentos da academia de saúde chegaram a ser arrancados.