Fitness

Academia Complexo h23, em Stella Maris, detalha ações para retorno das atividades

Um rigoroso protocolo de prevenção e segurança no combate à Covid-19 foi implementado para atender alunos e professores nas atividades esportivas

Redação iBahia
- Atualizada em

A segunda etapa do plano de retomada da economia em Salvador traz, entre outros itens, a reabertura das academias. O planejamento dos empresários está a todo vapor e, neste sentido, a Academia Complexo h23, em Stella Maris, não poupou investimentos. Um rigoroso protocolo de prevenção e segurança no combate à Covid-19 foi implementado para atender alunos e professores nas atividades esportivas.

Além das recomendações da OMS e do Ministério da Saúde, a Academia adotou, também, novas práticas já experimentadas em outros países, onde o pico da pandemia passou e o processo de retomada das mais de cinco mil academias já está sendo realizado com total segurança.

“O chamado novo normal não é novo para a primeira academia do Brasil. Fomos os primeiros a adotar o sistema de agendamento de treinos, o que garante o controle de alunos por ambiente, proporciona atendimento personalizado, evita aglomeração nos espaços e a disputa por aparelhos e vagas nas aulas coletivas”, explica Charles Batalha, sócio-diretor da Academia Complexo h23. 

O sistema de atendimento por hora marcada funciona desde a fundação da academia, em janeiro de 2019. "Já nascemos com o propósito de cuidar de cada aluno com muita atenção e o máximo de segurança”, completa Batalha. No fim de julho, a Complexo h23 (@complexoh23) divulgou, em suas redes sociais, um vídeo com o detalhamento de toda a operação para o momento de retorno das atividades, sob comando da apresentadora Rita Batista.

Dentre as medidas anunciadas, estão:

1. Os manobristas não terão acesso aos veículos dos alunos;

2. Instalação de tapete sanitizante na entrada da Academia;

3. Instalação de totem de álcool em gel 70% na recepção da Academia;

4. Medição de temperatura corporal, à distância, de todos os colaboradores, parceiros e alunos;

5. Implantação de um formulário de saúde especial, um termo de responsabilidade e um regimento interno, preparado especificamente para o momento;

6. Obrigatoriedade do uso de máscaras para todos os colaboradores, parceiros e alunos;

7. Aumento de dispenseres de álcool em gel 70% em todos os ambientes da Academia;

8. Marcação no piso de todas as salas, determinando distanciamento mínimo entre os alunos;

9. Redução de 50% dos armários e guarda-volumes;

10. Desativação dos chuveiros dos vestiários;

11. Uso do bebedouro apenas com garrafas próprias;

12. Instalação de pastilhas e fluídos sanitizantes nos aparelhos de ar-condicionado;

13. Rotina para troca do filtro de ar dos aparelhos de ar-condicionado 1 vez por mês;

14. Redução de vagas nas aulas coletivas e na sala de musculação;

15. Redução no tempo das aulas coletivas e dos treinos de musculação;

16. Interrupção das atividades duas vezes ao dia, por trinta minutos, para limpeza geral e desinfecção dos ambientes.

“Seguramente", afirma o sócio-diretor da Complexo h23, Charles Batalha, "esse é o protocolo mais rígido, dentre todos os estabelecimentos de prestação de serviços. Foi um complexo e eficiente trabalho desenvolvido pela ACAD Brasil – Associação Brasileira de Academias, junto ao Ministério da Saúde e poderes públicos”.