Fitness

Cinco passos para aumentar a testosterona no organismo e criar músculos

O que muitos adquirem de forma artificial, com o uso de anabolizantes, pode ser conquistado de outras formas

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
Gema de ovo para o colesterol, derivado indispensável para a produção do hormônio

Agachamento livre, levantamento terra e supino reto. Esses são alguns dos exercícios que estimulam a produção natural de testosterona no organismo. O que muitos adquirem de forma artificial, com o uso de anabolizantes, pode ser conquistado com os exercícios compostos, ou seja, aqueles que acionam vários grupos musculares ao mesmo tempo. Ao serem realizados, se eleva consideravelmente o estresse metabólico e aciona o 'ponto gatilho' para liberar a testosterona.

Cientistas de todo mundo já mostraram que os movimentos compostos são mais eficientes na liberação da testosterona, por isso, o ideal é fazer os isolados depois dos compostos, assim potencializa todo o treino. Esse é o primeiro passo para estimular a produção do hormônio.

A dica número 2 para elevar a 'testo' é aumentar o volume dos treinos. A orientação de acordo com alguns estudos é executar de 4 a 5 séries com até 6 repetições. Então nos exercicios compostos, o ideal é seguir essa programação. 

Exercícios compostos favorecem a produção da testosterona natural do corpo

Certifique-se que ao realizar o treino, esteja literalmente molhando a camisa. A orientação número 3, é o suor, um grande indicativo de alta intensidade durante os treinos. Para isso é necessário concentração, menos papo na academia, e descanso mínimo entre as séries. 

E é bom saber que o colesterol está ligado diretamente a produção de testosterona. Então essa é a dica número 4. Isso porque o corpo não produz a substância naturalmente o indivíduo terá que ingeri-la. Mas nada de adicionar o McDonalds à sua dieta. Para essa adição polêmica, é importante recordar que a gema do ovo e as carnes vermelhas já têm colesterol suficientes para doar o que o organismo precisa. O lema é: "Não exagerar, mas também não evitar", afinal os excessos não são nunca bem vindos. 

E o quinto item na corrida ao encontro da testosterona, é saber identificar os sintomas de baixa do hormônio: redução do líbido, problemas de atenção, falta de energia, perda de massa muscular e facilidade para acumular gordura. O ideal é procurar um médico e checar os níveis de 'testo' no organismo.