Fitness

Emagreça e se condicione: tudo que você precisa saber para pular corda da forma certa

Se praticado com disciplina, exercício pode substituir outras atividades praticadas antes fora de casa

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Está buscando uma atividade divertida para manter o condicionamento físico e ficar em forma em casa? Se sim, pular corda pode ser uma ótima opção. De acordo com a médica pós-doutora em cardiologia e especialista em medicina esportiva, Renata Castro, pular corda pode ajudar a emagrecer e se praticado com disciplina pode substituir outras atividades praticadas antes fora de casa e na academia.

A especialista alguns benefícios e orientações sobre a atividade. Confira: 

1- Benefícios

Melhora saúde cardiovascular, ajuda na perda de peso, melhor controle da pressão arterial e melhora da coordenação motora; 

2- Duração e cronograma semanal

Segundo a maior parte das entidades médicas e da Organização Mundial de Saúde (OMS), o ideal é realizar pelo menos 150 minutos semanais de atividade física de intensidade moderada. Para a maior parte dos adultos, pular corda se encaixa neste grau de intensidade. E claro, a prática de atividade física por mais tempo na semana trará mais benefícios, mas o mínimo recomendado é de 150 minutos semanais, que podem ser distribuídos em blocos de pelo menos 10 minutos.

 

3- Restrições

Como qualquer outra atividade física, pular corda aumenta o trabalho do coração e isso pode precipitar a ocorrência de eventos cardíacos (infarto, arritmias) nas pessoas que já apresentam doenças cardiovasculares. Por isso, é importante que as pessoas sejam bem orientadas sobre sua saúde cardiovascular antes de começar a praticar exercícios mais intensos.

Outro ponto importante a ser destacado é que pular corda gera impacto sobre as articulações dos membros inferiores e coluna. Portanto, pessoas com obesidade ou problemas ortopédicos também deveriam evitar. Finalmente, existe risco de queda ao pular corda e este não e um exercício recomendado para pessoas com história de tonteiras, desmaios ou alterações do equilíbrio.

4- Iniciantes

Começar devagar. Isso vale para todos os tipos de atividade física. Por mais que pareça brincadeira de criança, pular corda exige uma habilidade técnica que pode acabar frustrando alguns iniciantes. Uma boa alternativa para quem está tropeçando na corda é pular com a corda em uma das mãos, tentando coordenar o salto com o momento em que a corda bate no chão ao seu lado, evitando quedas e facilitando a aprendizagem.

 

5- Combinação de exercícios

A combinação de exercícios é sempre benéfica, não só pelos resultados físicos, mas também para evitar a monotonia dos treinos de um único exercício. Como pular corda gera pouco ganho de massa e força musculares, o ideal é combinar com exercícios de força.